Artigos

                    Resultado de imagem para NOTICIAS PNG

 NOTÍCIAS, ARTIGOS, VÍDEOS, IMAGENS E MUITO MAIS!

   



Hospitais sem alvará de incêndios só podem ser interditados

se houver iminente risco à vida, dizem Bombeiros

Resultado de imagem para hospitais

,

Apenas a ausência do documento relativo ao PPCI não provoca o fechamento das unidades de saúde

 

Mesmo com ausência do alvará  que valida o Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI), hospitais só podem ser interditados havendo constatação de iminente risco à vida. Isso ocorre quando são descumpridas as cinco normas mínimas de prevenção: saídas de emergência desobstruídas, extintores de incêndio suficientes, sinalização adequada, iluminação de emergência e treinamento de pessoal, a chamada brigada de incêndio. Levantamento de GaúchaZH aponta que apenas três dos 36 hospitais de Porto Alegre têm alvará de combate a incêndios.

— Não se interdita apenas pela falta de documentação. Ausência de PPCI não é sinônimo de inexistência de prevenção instalada. Raras são as interdições, pois, para a gente fazer isso, tem de estar em vias de acontecer alguma coisa — pontua  o chefe da Divisão de Segurança Contra Incêndio do Corpo de Bombeiros de Porto Alegre, major Ederson Fioravante Lunardi.

incêndio no Fêmina é citado como exemplo de hospital sem PPCI, mas com plano de ação. Situação assim ameniza, mas não elimina os riscos, considera o oficial:

 

— Hospitais e asilos, que são locais com dificuldade de locomoção e retirada das pessoas, são problema. É claro que (o Fêmina) tinha alguma prevenção, porque a brigada de incêndio evacuou o prédio, e os bombeiros só precisaram combater o fogo. A retirada rápida das pessoas evitou tragédia maior. Mas isso serve de alerta — comenta.

O engenheiro civil Telmo Brentano, especializado em incêndios, explica que são importantes áreas de refúgio em hospitais: espaços isolados por uma porta corta-fogo com uma saída por escada. Ele alerta para os altos riscos de episódios como esse em uma casa de saúde:

— A maioria das pessoas em enfermaria necessita de apoio para se deslocar. Muitas estão inconscientes, como em uma UTI, e outras imobilizadas. Então, precisam de ajuda. E aí se faz a pergunta: será que há treinamento no hospital para uma situação de emergência? Será que os responsáveis têm treinamento periódico, sabem como agir, o que fazer em uma situação dessas? É tudo uma questão de gestão. (…) Mas aí entra um elemento importante que se chama fator humano, a negligência humana em tudo. Essa parte de incêndio, que é relativamente nova, sempre fica para o final — avalia. 

Legislação dificulta aplicação de multas

O major Lunardi reclama da subjetividade das leis que tratam do tema quando o assunto é multas. Ele diz que o Corpo de Bombeiros sente-se inseguro e que, por isso, nenhuma multa foi aplicada em Porto Alegre desde a sanção da Lei Kiss, em 2013. Mas isso vai mudar em 27 de junho, quando entra em vigor a resolução técnica nº 5 parte 6, garante. O documento estabelece procedimentos administrativos para fiscalização e aplicação das penalidades decorrentes do descumprimento. As penalizações previstas variam de R$ 1.465,17 a R$ 2.734,98. A opinião do oficial é partilhada pelo diretor da Escola de Engenharia da UFRGS, Luiz Carlos Pinto da Silva Filho :

— É preciso um decreto regulamentador, pois a aplicação das multas ficou em uma zona cinza — avalia.

O engenheiro civil Telmo Brentano afirma que a Lei Kiss ainda precisa de aperfeiçoamentos. Ele defende que já existe, no país, uma legislação avançada e que é a mais eficiente na prevenção contra incêndios:

— Eu sigo a legislação de São Paulo, que é a melhor do Brasil. Dezoito Estados já seguem. Aqui, no Rio Grande do Sul, estão reescrevendo a legislação da Kiss e tem muitas coisas que não estão em vigor. Bastaria aplicar a legislação de São Paulo, que está atualizadíssima, apenas com adaptações. Sempre penso que a legislação deveria ser mais pé no chão, mais objetiva. Mas a Lei Kiss já é um avanço em relação à anterior — defende. 

Crítico à falta de prevenção em edificações, Brentano alerta que a cultura no país precisa mudar: 

— Como muitos hospitais são antigos, os prédios devem sofrer adaptações. Só que elas são complicadas, porque não estavam previstas originalmente. Há falta de dinheiro, não existe gestão que impulsione, então o negócio vai se enrolando por anos até que seja resolvido. Se acontece um incêndio, aí todo mundo lembra que tem que fazer alguma coisa. O brasileiro não é proativo, não previne: ele reage.

Corpo de Bombeiros pretende intensificar a fiscalização, com forças-tarefas, algo que não acontece atualmente — nenhum trabalho de fiscalização nos hospitais foi feito recentemente. O major garante que efetivo há: em Porto Alegre, dos 250 bombeiros, 52 trabalham exclusivamente no setor de prevenção de incêndios.

 

Três formas para obter o alvará no RS: 

1 – Certificado de Licenciamento do Corpo de Bombeiros (CLCB)

Para edificações de até 200 metros quadrados. Proprietário precisa declarar existência de extintores e de brigada de incêndio, além de saídas, sinalização e iluminação de emergência. 

2 – Plano Simplificado de Proteção Contra Incêndio (PSPCI)

Exigido para prédios com até 750 metros quadrados. Proprietário também tem de declarar existência de extintores e de brigada de incêndio, além de saídas, sinalização e iluminação de emergência. Válido por 5 anos.

3 – Plano de Prevenção Contra Incêndio (PPCI)

Para imóveis acima de 750 metros quadrados ou que ofereçam risco, como posto de combustíveis, é exigido o plano completo, chamado de PPCI. Alvará de hospital tem validade de cinco anos. Não havendo mudança estrutural, não há necessidade de elaboração de novo PPCI, apenas pedir a vistoria para renovação do alvará ao fim do período.

 

GaucháZH

12/03/19


 

PPCI – PLANO DE PREVENÇÃO E PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO

Qual a importância de implantar o PPCI?

  • Preservar e proteger a vida dos ocupantes das edificações e áreas de risco, em caso de incêndio;
  • Dificultar a propagação do incêndio, preservando a vida, reduzindo danos ao meio ambiente e ao patrimônio;
  • Proporcionar meios de controle e extinção do incêndio;
  • Proporcionar a continuidade dos serviços nas edificações e áreas de risco de incêndio;

 

Condomínios possuem diversas unidades autônomas, sejam comerciais ou residências, com grupos diversos vivendo em uma mesma edificação. Existem riscos de incêndios tais como vazamentos de gás, curtos circuitos em instalações elétricas antigas ou mal feitas, armazenamento indevidos de materiais inflamáveis, esquecimento de velas acesas e de equipamentos elétricos ligados entre outros.

O PPCI não pode evitar todos os riscos, mas pode fazer o primeiro combate, para que um princípio de incêndio não se transforme em catástrofe. Manter os equipamentos de combate a incêndio em boas condições, escadas com corrimões contínuos em ambos os lados, degraus com piso anti derrapante, fazem toda a diferença quando ocorre um sinistro.

 

Quando deve ser feito o PPCI?

  • Construção de uma nova edificação;
  • Mudança de uso;
  • Ampliação da área construída;
  • Aumento da altura da edificação;
  • Regularização das edificações existentes;
  • Aumento do grau de risco de incêndio;
  • Aumento da capacidade de lotação.
  • Entre outras;

Fonte: CreditoReal


 

VOCÊ SABIA? Elaboramos e executamos o plano de prevenção de seu empreendimento!

 

 CONTATOS:

 

   Resultado de imagem para logo telefone  (51)  9 8245-3588  /  9 8329-5294 (Telefones e WhatsApp)   

 

      Resultado de imagem para logo email   E-MAIL: contato.rpc@hotmail.com
 

      Resultado de imagem para logo facebook    FACEBOOK:  https://www.facebook.com/rhodenprojetoseconstrucoes/ 
    

     Resultado de imagem para logo site  SITE :   http://www.rhodenprojetoseconstrucoes.com.br/ 

 

   Resultado de imagem para LOGO MENSAGEM EMAIL CLIQUE AQUI E ENVIE AGORA MESMO SUA MENSAGEM ONLINE!

 

 

 Atendemos a capital Porto Alegre  e  região metropolitana do RS ( Cachoeirinha, Gravataí,  Canoas,  Esteio,

Novo Hamburgo, Sapucaia do Sul, São Leopoldo, entre outras cidades, Serra e Litoral ) – CONSULTE SUA CIDADE!

 






 

 CBMRS na construção de uma cultura prevencionista

 

O Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul (CBMRS) através do 3º Batalhão de Bombeiros Militar (3ºBBM) com sede em Rio Grande-RS, participou do Projeto Político-Pedagógico e Pré-Profissionalizante do Centro de Convívio dos Meninos do Mar (CCMar).

O projeto foi realizado entre os dias 26 a 28 de março, com os jovens alunos, e consistiu na troca de conhecimentos nas áreas de combate a incêndio, proteção e prevenção de incêndio, salvamento em altura, atendimento pré-hospitalar, direitos e deveres de um cidadão e resistência à drogas e violência, este último ministrado pelo efetivo do PROERD, da Brigada Militar.

O CCMar oferece diversos cursos, como: panificação e confeitaria, informática básica, construção naval, educação náutica e culinária, motivando e orientando estes jovens ao mercado de trabalho.

Os candidatos são selecionados pelo corpo técnico da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), vinculados a ação social da universidade. São 142 jovens entre 14 e 17 anos, em situação de vulnerabilidade sócio-econômico-ambiental na cidade do Rio Grande, geralmente provenientes de comunidades carentes.

FONTE: CBMRS

 



 

Comando dos Bombeiros de Santa Catarina veio ao HUSM conhecer projeto de cinoterapia

 

Guapo e Logan – dois cães labradores que trabalham no salvamento e resgate junto ao Corpo de Bombeiros de Santa Maria – são “velhos” conhecidos dos pacientes internados na Unidade Paulo Guedes, no Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM). Desde dezembro do ano passado, a cada 15 dias, eles visitam a instituição e desenvolvem atividades terapêuticas e recreativas com os pacientes, no pátio interno do hospital. Com intuito de conhecer esse projeto de perto, parte do comando do Corpo de Bombeiros de Santa Catarina estive no HUSM, na última quinta-feira, dia 22 de março.

Antes mesmo de os pacientes descerem, uma roda de conversa se formou no pátio em volta dos cães.

– Fizemos o curso de cinotécnicos com vocês e, no final do ano passado, iniciamos as atividades aqui, inspiradas no projeto de vocês – disse o soldado Brum ao grupo.

O chefe da Unidade Paulo Guedes, o enfermeiro Luciano Bertasi contou aos visitantes que, apesar de o projeto estar no início, já foi possível verificar melhoras nos pacientes.

– Esse projeto foi um presente para nós. Um exemplo disso é de uma senhora que, quando chegou, não se comunicava com ninguém, não se movimentava de jeito nenhum. Mas ela tinha um vínculo prévio com cachorros. Quando ela participou do projeto pela primeira vez, já expressou as primeiras frases aqui: “Eu amo esses bichinhos”. Teve uma vez que um deles pulou no colo dela e ela saiu segurando a guia e deu um passeio no pátio. A gente só tem que agradecer a disponibilidade de vocês – afirmou Bertasi.

O comandante regional da 1ª Região Bombeiro Militar de Santa Catarina (CBMSC), coronel César Nunes, quis saber todos os detalhes sobre o funcionamento do projeto. Pois é ele quem vai defender a ideia junto ao alto-escalão para disseminá-la em outros hospitais.

– Ficamos demasiadamente feliz por esse projeto estar em uma universidade tão renomada. Quero parabenizar as equipes por esse trabalho em um ambiente tão complexo, que é o ambiente hospitalar.

Os Bombeiros locais explicaram que, além do rígido controle sanitário – carteira da vacinação em dia e controle de zoonoses -, os cães passam por banho em pet shop antes de entrar no hospital.  

A visita dos cães iniciou pela Unidade Psiquiátrica devido as características dos pacientes.

– Por se tratar de uma atividade nova no hospital, pensou-se em iniciar na nossa unidade, pois nos nossos pacientes, o acometimento é mais em saúde mental. Com isso, o risco de infecção hospitalar é mínimo – explicou Bertasi.

– Além disso, os pacientes que participam do projeto são pacientes que não estão acamados. Muitas vezes, o tempo fica ocioso para eles. Então, quanto mais atividade, mais chance de proporcionar bem-estar, de deixá-los menos estressados – conta a terapeuta ocupacional Fabiane Conterato.

O major Walter Parizotto, comandante do 14º Batalhão de Bombeiro Militar de Santa Catarina, convidou o grupo de profissionais do HUSM para participar de um seminário de Cinoterapia, que irá ocorrer em Itajaí (SC), entre os dias 20 e 22 de julho.

– É muito satisfatório mantermos o cão ativo e fazemos o bem para as pessoas. Temos um curso para treinamento de cinotécnicos e estamos tentando convencer nossos homens de que essa é uma atividade extremamente importante para o cão, para o cinotécnico e para quem recebe a atividade – acredita o maj.

– Ninguém investe e ninguém mantém estruturas que não são úteis. Todo mundo questiona nossa atividade como bombeiro, se no futuro, com tanta tecnologia ainda vão existir incêndios. E nos preocupamos, por meio dos trabalhos sociais, em ser cada vez mais presente. Quem ganha com isso não é a corporação, é a sociedade – razão única de existir das nossas instituições. Enxerguem como uma necessidade de garantir o futuro da instituição por uma melhor sociedade – completa o coronel Cesar.

 

Iniciativa em Santa Catarina já tem 4 anos

Em Xanxerê (SC), o projeto no hospital começou há 4 anos com uma justificativa muito pontual. Um menino iria fazer uma cirurgia com alto risco e a psicóloga que estava cuidando dele queria minimizar o impacto. Sugeriu então, levar o cão do garoto para o hospital.

– Era impossível levar até o hospital o cão do menino. Então levamos o nosso. Nós começamos fora do hospital, em um ambiente anexo, depois fomos para uma salinha onde as crianças vinham até a sala e, hoje, nós estamos entrando na UTI. E queremos compartilhar essa experiência – afirma o maj. Parizotto.

Hoje, além de Xanxerê, há projeto de cinoterapia em hospitais de Itajaí e São Miguel do Oeste. A visita com os cães varia de duas a três vezes por semana.

– O fluxo depende da quantidade de pacientes. Os hospitais entram em contato com a gente e visitamos crianças e adultos na Pediatria, cardiologia e UTIs – conta o 2º tenente Tiago José Domingos, membro da Coordenadoria de Serviço de Busca, Resgate e Salvamento com Cães do CBMSC e instrutor das disciplinas de Etologia Canina e Figuração no curso de Cinotecnia.

As atividades desenvolvidas dependem da demanda do dia e são solicitadas pelas equipes multiprofissionais da psicologia e da fisioterapia, por exemplo. As visitas são divididas em dois momentos. O primeiro é uma atividade terapêutica de cerca de 1h. Os bombeiros passam nas unidades de internação com os cães para interagir com os pacientes.

– Passamos, sempre acompanhados da assistente social ou psicóloga, para tentar levantar o ânimo deles. Fizemos um momento de pausa, para descanso dos cães, e retornamos para o segundo momento. Agora com a fisioterapia para fazer sessões de 20 a 30 minutos, que envolve subir escadas, jogar objetos para o cão pegar e trazer de volta. A fisioterapeuta passa para gente, por exemplo, que o paciente precisa movimentar membros superiores. Então a levamos uma atividade para que ele arremesse objetos – conclui o Domingos.

Além dos bombeiros de Santa Catarina, haviam bombeiros de Vacaria, São Leopoldo e Santa Cruz do Sul – todos com a intenção de promover melhorias nos projetos de cinoterapia existentes ou implantar o projeto na cidades onde ainda não existem. Os visitantes foram recepcionados pelo tenente coronel Cláudio Ricardo Pereira, comandante do 4º Batalhão de Bombeiros Militar, da Região Central. e pela capitã Paula, veterinária que dá assistência aos cães de Santa Maria.

 

FONTE TEXTO E FOTO

28/03/2018



 

 

Incêndio atinge parte de módulo da Penitenciária de Canoas

De acordo com a Susepe, cigarro aceso teria provocado o incêndio. Chamas foram controladas sem afetar funcionamento da casa prisional.

 

Foto: Leandro Rodrigues

Um incêndio atingiu na segunda-feira (26) parte do módulo dois da Penitenciária de Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre. De acordo com a Superintendências dos Serviços Penitenciários (Susepe), as chamas começaram em um depósito depois de um preso jogar um cigarro aceso. O incidente, no entanto, não afetou o funcionamento da casa prisional.

No final de semana, o Instituto Penal de Carazinho, no Norte do estado, também foi atingido por um incêndio. Por conta da situação, os presos deverão continuar abrigados na casa de parentes, uma vez que que o local não tem espaço para realocar os detentos.

Engenheiros da Susepe estiveram no prédio em Carazinho para avaliar os estragos provocados pelo incêndio iniciado na tarde de domingo (25). Em menos de 15 minutos o fogo destruiu praticamente toda a estrutura do albergue penal, que fica ao lado do presídio. Ninguém ficou ferido.

A autorização judicial para que os presos permaneçam na casa de parentes vale até a quarta-feira (28), dia no qual a direção da penitenciária esperar receber o laudo técnico da Susepe sobre a situação do prédio.

Nos últimos dias foram registrados incêndios também nos presídios de Osório, no Litoral Norte do estado, e em Dom Pedrito na Região da Campanha.

 

FONTE TEXTO: RBS TV

 



 

Incêndio atinge Instituto Penal do Presídio Estadual de Carazinho / RS

Segundo a Susepe, nenhum preso ou servidor ficou ferido. Os três alojamentos do instituto foram afetados.

 

 

 Um incêndio atingiu o Instituto Penal do Presídio Estadual de Carazinho, no Norte do Rio Grande do Sul, no início da tarde deste domingo (25). De acordo com a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), ninguém ficou ferido.

Segundo o diretor substituto do presídio, Éberson Tapia de Oliveira, o fogo teria começado por volta das 13h20, pouco antes dos presos irem para o banho de sol no pátio. Os três alojamentos do instituto foram afetados, um deles com menor gravidade.

“Quando eles estavam saindo se percebeu a presença de fumaça. Começou pouco, mas o fogo se espalhou logo porque tem muitos colchões no local”, afirma Oliveira.

Ainda não se sabe o que provocou o incêndio. As chamas já foram controladas pelos bombeiros. Falta decidir o que será feito com os presos que ocupavam os alojamentos afetados.

“Não tem como voltarem, os locais estão destruídos. Vamos decidir agora o que fazer”, explica o diretor substituto.

O Instituto Penal de Carazinho abriga 108 presos do regime semiaberto. Com o incêndio, o juiz responsável pela Vara de Execuções Criminais de Carazinho concedeu prisão domiciliar aos detentos, que foram liberados para passar esta noite em casa.

Cinquenta e sete deles, que não possuem trabalho externo, devem se apresentar às 9h desta segunda-feira (26). O restante, deverão se apresentar às 19h, após a jornada de trabalho.

Uma reunião marcada para a tarde de segunda-feira irá definir quais as medidas serão adotadas.

FONTE: G1 RS

 



 

CBMRS realiza reunião junto a Promotoria do Torcedor

 

 

Nessa quinta-feira (22), o Departamento de Segurança, Prevenção e Proteção contra Incêndio (DSPCI) esteve reunido com a Promotoria de Justiça Especializada do Torcedor para tratar de assuntos relevantes como possíveis ações integradas para implementação e fiscalização da segurança contra incêndio nos estádios. Também trataram sobre a atualização da Resolução Técnica específica para aquelas ocupações e o estabelecimento de procedimentos e padronização para emissão em âmbito estadual dos laudos técnicos de segurança e combate a incêndio e pânico, determinado pela Lei Federal nº 10.671/2003 (estatuto do torcedor).

Participaram da reunião o diretor do DSPCI, coronel Cesar Eduardo Bonfanti, o Chefe da Seção de Normatização, major Eduardo Estevam Camargo Rodrigues e o promotor de justiça, Sr. Ricardo Schinestsck Rodrigues, da Promotoria de Justiça Especializada do Torcedor.

 

TEXTO E FOTOS: CBMRS

 

 



 Tenentes da Turma Leões de Pedra

 

 

Na última segunda-feira (19), o comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul (CBMRS), coronel Cleber Valinodo Pereira, acompanhado do diretor da Academia de Bombeiros Militares (ABM), tenente-coronel Lúcio Alex Ruzicki e dos novos Tenentes, formados na Turma Leão de Pedra, foram recepcionados em uma reunião-almoço no Palácio Piratini pelo excelentíssimo governador do Estado, senhor José Ivo Sartori e pela primeira-dama senhora Maria Helena Sartori, paraninfa da referida Turma.

Os Bombeiros Militares formaram-se no dia 02 de março, no ginásio do Sesc Protásio Alves.

 

TEXTO E FOTOS: CBMRS

 



Guarda-vidas Mirim em Porto Alegre

 

Neste sábado (10), aconteceu na Igreja Maranata, em Porto Alegre, mais uma edição do Projeto Guarda-vidas Mirim. Foram 120 crianças juntas de seus familiares, totalizando 258 pessoas.

Crianças com idade entre seis e 12 anos receberam orientações sobre os perigos no mar, significado das cores das bandeiras na beira da praia e os cuidados necessários para um banho seguro no mar, rios, lagoas, piscinas e todos os locais considerados balneáveis!

 

TEXTO E FOTOS: CBMRS

 



 

Suspensão de concurso – Capitão Bombeiro Militar

 

O Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul (CBMRS) informa que, em decorrência do Processo de Inspeção Especial nº 321-02.00/18-3 instaurado pelo Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul, os concursos públicos para o Curso Superior de Polícia Militar (Edital DA/DRESA nº CSPM 01/2018) e Curso Superior de Bombeiro Militar (Edital DA/DRESA nº CSBM 01/2018) estão suspensos.

 

TEXTO E FOTOS: CBMRS

 

 



 

Reunião de Comando do Corpo de Bombeiros Militar

do Rio Grande do Sul

 

                        

Nos dias 26 e 27 de abril, em Santana do Livramento, aconteceu a 11ª reunião de Comando do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul (CBMRS).

Dentre os assuntos tratados, pode-se destacar: a apresentação da proposta de estruturação do Departamento Administrativo (DA) do CBMRS, controle fiscal e execução dos Fundos Municipais de Reequipamento e Reaparelhamento de Bombeiros (Fumrebom), gestão de recursos e custeio dos Batalhão de Bombeiros Militar (BBMs), reforma da previdência, entre outros.

Estavam presentes na reunião o Comandante do CBMRS, Coronel Krukoski, o Sub Comandante, Tenente Coronel Maya, diretor do Departamento Administrativo, Tenente Coronel Burgel, chefes da Assessoria de Desenvolvimento Organizacional e da Assessoria Parlamentar, Comandantes da Academia de Bombeiros Militar, da Companhia Especial de Busca e Salvamento e dos 1º, 2º, 3º, 4º, 5º, 6º, 7º, 8º, 9º, 10º, 11º BBMs.

27/04/2017

Fonte: CBMRS

 



 

CBMRS lança força-tarefa para realizar vistorias em Porto Alegre / RS.

 

A previsão do Comando do Corpo de Bombeiros (CBB) é de atingir a meta estipulada em cerca de 10 dias.

 

O Corpo de Bombeiros Militar (CBM) constituiu uma força-tarefa para zerar o passivo de vistorias e diminuir os prazos para a concessão do Alvará de Prevenção e Proteção Contra Incêndio ( APPCI) em Porto Alegre. Os trabalhos iniciarão na terça-feira (04) e terão prosseguimento até que seja eliminada toda a demanda represada.

A previsão do Comando do Corpo de Bombeiros (CBB) é de atingir a meta estipulada em cerca de 10 dias. Para o tenente coronel Carlos Daniel Schultz Coelho, coordenador da força-tarefa, a iniciativa é fundamental para que se diminua também os prazos das análises de PPCI, reduzindo de forma significativa o prazo para a concessão de alvarás na capital. A previsão linear do CBM para todo Estado é de 60 dias. Para aquelas localidades onde o número de processos é muito elevado, a corporação planeja ações desse caráter?, explica.

Ao todo, 120 bombeiros atuarão em equipes, coordenadas por dez oficiais. O número de membros de cada equipe pode variar de acordo com as dimensões da estrutura vistoriada. As ações priorizarão o emprego do efetivo em vistorias de edificações em toda a capital, resultando na concessão em larga escala do APPCI ou da Notificação de Correção de Vistoria.

As notificações de correções decorrem de deficiências nas edificações e/ou nas medidas de segurança contra incêndio. Alguns dos exemplos mais comuns que motivam a sua expedição  são: extintores de incêndios com data de validade vencida, lacre rompido, despressurizados ou obstruídos; não compartimentação da edificação; sistema hidráulico (hidrantes) deficiente, irregularidade da central de gás; falta de certificado de treinamento de prevenção contra incêndio para pessoas que utilizam a edificação; falta de corrimão em escadas; rotas de saída de emergência obstruídas; e falta de laudos

Publicação:

Fonte: SSP

 



 

JUSTIÇA ESTADUAL INDEFERE PEDIDO DE LIMINAR REQUERIDO PELO SENGE RS CONTRA A LEI N.º 14.376/2013

 

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul proferiu despacho indeferindo a medida cautelar pleiteada pelo Sindicato dos Engenheiros – SENGE RS, que requeria a suspensão dos artigos da Lei Complementar n.º 14.376/2013, alterados pela Lei Complementar n.º 14.924/2016, e do Decreto Estadual n.º 53.280/2016, referentes ao Certificado de Licenciamento do Corpo de Bombeiros – CLCB, Plano Simplificado de Prevenção e Proteção Contra Incêndio – PSPCI, licença provisória, competência do Corpo de Bombeiros Militar e edificações existentes.

Na decisão, o magistrado ressalta que a alteração da Lei Complementar n.º 14.376/2013 ocorrida em setembro de 2016 buscou criar mecanismos que possibilitam a agilização do licenciamento das edificações no estado, entendendo não haver risco à segurança pública e referindo que as medidas de segurança contra incêndio continuam sendo exigidas. Afirma que o reforço na responsabilidade dos proprietários e responsáveis pelo uso dos prédios contribui, sem dúvida, para o atendimento mais efetivo das normas de segurança, concluindo que as alterações nos procedimentos de modo algum significam descaso ou negligência no que diz respeito à preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio.

No despacho, o magistrado menciona também que as atividades de engenheiros, arquitetos e bombeiros se complementam, visto que a lei em nada alterou as atribuições dos responsáveis técnicos, que são previstas por legislação federal, e não extrapolou a competência constitucional do CBMRS. Foi ressaltado, ainda, que a fiscalização das medidas de segurança contra incêndio está diretamente relacionada ao poder de polícia do Corpo de Bombeiros Militar.

A decisão judicial veio reafirmar o compromisso do CBMRS com a redução dos prazos de emissão das licenças das edificações, contribuindo com o desenvolvimento social e econômico do Rio Grande do Sul, sem jamais descuidar da segurança dos cidadãos gaúchos.

FONTE: CBMRS

21 de março de 2017

 




 

Agilidade no atendimento dos Bombeiros

 

 

Jornal o Diário da Encosta da Serra divulga agilidade no serviço de atendimento das ocorrências, graças a nova tecnologia de um aplicativo já utilizado pela corporação em outros municípios.

O aplicativo funciona em tempo real, com auxílio de mapas que permitem agilidade e acompanhamento de pelotões e companhias próximas, facilitando assim, a agilidade para atender as ocorrências.

Para maiores informações, segue o link para a reportagem:

Fonte: http://www.odiario.net/noticia/13813/Atendimento-dos-bombeiros-esta-mais-agil

16/03/2017

 




 

COESPPCI emite nota à sociedade gaúcha sobre a aprovação da Lei Federal de Segurança contra Incêndio

 

No dia 15 de março de 2017, o Conselho Estadual de Prevenção e Proteção contra Incêndio (COESPPCI) reuniu-se extraordinariamente para discutir o impacto que o Projeto de Lei nº 2020/2007, aprovado pela Câmara dos Deputados no dia 07 de março do corrente ano, trará para os licenciamentos das edificações e áreas de risco de incêndio no Estado do Rio Grande do Sul. Na ocasião, foi redigida pelo COESPPCI uma nota para esclarecimento da sociedade gaúcha.

Confira a nota da imprensa na íntegra no link abaixo:

NOTA IMPRENSA


FONTE:CBMRS

15 de março de 2017



 

Projeto de estruturação dos Bombeiros prevê

redução de 750 cargos

 

Governo enviou dois projetos à Assembleia, dois anos após

a separação da Brigada Militar

 

  

 

Dois anos após a aprovação da separação do Corpo dos Bombeiros da Brigada Militar, o governo do Estado enviou à Assembleia Legislativa dois projetos de lei para estruturar a corporação. Um deles é a Lei de Fixação de Efetivo do Corpo de Bombeiros Militar, que prevê a redução de 751 cargos.

Atualmente, os Bombeiros contam com 4.852 cargos. Caso a proposta seja aprovada, serão 4.101 cargos. O governo do Estado alega que pretende formar uma instituição enxuta e moderna, com menor estrutura administrativa. A intenção também é formar parcerias com municípios para criar bombeiros comunitários e outras estruturas de apoio.

A outra proposta enviada à Assembleia é a Lei de Transição, que garante a manutenção dos direitos dos bombeiros militares, como por exemplo, a utilização do Hospital da Brigada Militar. O texto ainda oferece a opção aos servidores de permanecerem na Brigada Militar e, também, determina alguns casos de brigadianos que podem ingressar no novo quadro de pessoal dos Bombeiros.

A Lei de Transição também determina a criação de uma Comissão Transitória, que deverá finalizar o processo de estruturação do Corpo de Bombeiros em um prazo de 180 dias a contar da data de publicação da lei.

A separação do Corpo de Bombeiros da Brigada Militar foi aprovada em junho de 2014, por meio de uma emenda constitucional que definiu prazo de dois anos para que o estado enviasse à Assembleia três projetos de lei que estruturariam a corporação. Em julho, foi aprovada a Lei de Organização Básica e estavam faltando os dois outros projetos, enviados nessa quinta-feira.

  

Fonte:CBMRS-23-12-16

 

 



 

 Visita do Secretário de Segurança Pública no Comando do Corpo de Bombeiros Militar do RS



 
 

 

Aconteceu na manhã desta quinta-feira (1/12) visita do Secretário de Segurança Pública, senhor Cezar Augusto Schirmer, acompanhado pelo chefe da Casa Militar, Coronel Everton dos Santos Oltromari, no Comando do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio Grande do Sul.

Participaram da reunião, além do Comandante do Corpo de Bombeiros Militar (CBMRS) coronel Adriano Krukoski Ferreira, o tenente coronel Luis Marcelo Goncalves Maya, os comandantes de Batalhões de Bombeiro Militar (BBM), da Academia de Bombeiro Militar (ABM), da Companhia Especial de Busca e Salvamento (CEBS), diretores de departamentos e chefes de assessorias do gabinete do comandante.

O secretário Schirmer e o coronel Everton abordaram a situação financeira do Estado, esclarecendo alguns pontos do pacote de ajustes e projetos de reduções de gastos públicos. Informou também que logo após a Assembléia Legislativa votar o pacote de ajustes, haverá o encaminhamento das leis estruturantes do CBMRS.

Por sua vez, o coronel Krukoski enfatizou a necessidade premente do encaminhamento da Lei de Fixação de Efetivo e da Lei de Transição para a efetividade da emancipação do Corpo do Bombeiros, e fez algumas considerações sobre os cursos de formação e de carreira na instiuição, e a necessidade de se possibilita o ingresso de bombeiros militares da reserva remunerada no Corpo de Voluntários Militares Inativos (CVMI).

Fonte:CBMRS-01-12-16

  



 

Projeto Bombeiro na Escola – PROBESC

Bombeiros Mirins em Horizontina

 

               
 

Corpo de Bombeiros forma 278 alunos no Projeto Bombeiro na Escola – PROBESC e 58 Bombeiros Mirins em Horizontina

 

Na noite do dia 29 de novembro de 2016, realizou-se no Centro de Convivência da Terceira Idade do município de Horizontina a formatura dos alunos que participaram do Projeto Bombeiros na Escola – PROBESC e Bombeiro Mirim. O evento contou com a participação do Cel Adriano Krukoski, Comandante do Corpo de Bombeiros Militar, do Sr Nildo Hickmann, Prefeito de Horizontina, entre outras autoridades civis e militares.

Os projetos de educação preventiva desenvolvidos pelo Corpo de Bombeiros Militar do RS (CBMRS) em vários municípios do Estado, têm como objetivo construir uma cultura social prevencionista e a formação de uma consciência solidária e de respeito à vida, além de desenvolver ensinamentos e aprendizados práticos e teóricos das atividades desenvolvidas pelo Corpo de Bombeiros, reforçando a capacidade de desenvolvimento da cidadania.

No município de Horizontina, desenvolvido de maio a novembro de 2016, o Pelotão de Bombeiros subordinado ao 12º BBM sediado no município de Ijuí, contou com parcerias imprescindíveis para o seu sucesso: Secretaria Municipal de Educação e Cultura, Fundação John Deere e ONG Global Communities, possibilitando aos participantes o uso de uniformes, sem custos para os alunos e famílias.

 

O PROBESC

No transcorrer do projeto Bombeiros com a Escola, bombeiros militares e bombeiros voluntários ministraram as seguintes disciplinas: defesa civil, busca e resgate, primeiros socorros, prevenção e combate a incêndio, e desempenho humano, perfazendo um total de 40 horas aula para cada turma.

O projeto contou com 280 alunos matriculados, e apenas 02 desistências, com conclusão satisfatória de 278 alunos do 6º ano do ensino fundamental, abrangendo todas as 10 escolas de Horizontina das redes municipal, estadual e particular, agregando ainda a APAE.

 

Projeto Bombeiro Mirim

O projeto teve 59 alunos matriculados para receberem o treinamento no quartel do Corpo de Bombeiros, selecionados dentre os 278 alunos que participaram do PROBESC. Com apenas 01 desistência, participaram do ato de formatura 58 Bombeiros Mirins.

Os treinamentos foram realizados aos sábados, sendo uma turma pela manhã e outra à tarde, com instruções das atividades de bombeiros, orientação para o trânsito, educação ambiental, educação anti-drogas, informática, ordem unida, civismo e cidadania, contribuindo com o processo de educação e formação dos futuros cidadãos comprometidos com o bem, com a coletividade e com as atividades sociais e voluntárias.

Cabe destacar que para ser um Bombeiro Mirim, é necessário frequentar a escola e ter bom rendimento escolar.

O Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul sente-se honrado em contar com mais 278 bombeiros por vocação.

FonTE:CBMRS

01/12/16

 



 

 

Entrega de Equipamentos

FUNREBOM Santa Maria RS

 



No dia 18 de novembro de 2016, às 10 horas, na sede do 4º Batalhão de Bombeiros Militar de Santa Maria, foi realizada formatura para a entrega de equipamentos adquiridos pelo Fundo de Reequipamento do Corpo de Bombeiros Militar – FUNREBOM, de Santa Maria.

Dentre os recursos financeiros que compõe o Fundo, destacam-se as taxas provenientes de exames de planos e projetos de segurança contra incêndio, vistorias ou inspeções dos sistemas de segurança contra incêndios; credenciamento de empresas, prestação de serviços não emergenciais, dentre outras receitas.

As aquisições decorrem das necessidades do Corpo de Bombeiros de Santa Maria, conforme planejamento realizado pelo Comandante do 4º Batalhão de Bombeiro Militar, Major QOEM Cláudio Ricardo Pereira, e foram devidamente aprovadas pelo Conselho do FUNREBOM.

Neste ano de 2016, foram realizadas importantes aquisições para a melhoria do serviço prestado à sociedade santa-mariense. Na solenidade, foram entregues diversos equipamentos, dentre os quais se destacam:

50 (cinquenta) Conjuntos de capa e calça de combate a incêndios, e 30 (trinta) pares de botas de combate a incêndio;

22 (vinte e dois) Notebooks para o efetivo das seções administrativas e da Seção de Prevenção de Incêndios, além de 4 computadores All in One para o atendimento ao público no Protocolo da Seção de Prevenção de Incêndios.

5 (cinco) Televisores Led 40”, destinados às salas de operação e monitoramento das câmeras de segurança.

23 (vinte e três) Mangueiras de Combate a Incêndio, repondo a defasagem atualmente existe.

4 (quatro) motosserras.

Destaca-se também a contratação de seguro contra terceiros para 19 (dezenove) Viaturas, tanto leves quanto pesadas. Trata-se de uma demanda antiga do efetivo, e visa a dar maior proteção para a frota veicular da unidade no caso de sinistros.

Além disso, também foram entregues pelo Conselho do FUNREBOM equipamentos para busca e salvamento e resgate em altura, tornando a unidade autossuficiente no atendimento de ocorrências envolvendo salvamento em altura.

Ainda, em dezembro serão entregues 52 (cinquenta e dois) conjuntos de capacetes de combate a incêndio e lanternas com resistência a altas temperaturas.

Texto: Capitão QOEM Vinícius Oliveira Braz Deprá – Chefe da 4ª Seção do 4º Batalhão de Bombeiro Militar.

Fotos: Sd QPM 2 Vagner Coelho

Data:22/11/16

Fonte:CBMRS

 



 

 

SENABOM

Seminário Nacional de Bombeiros

 


       


 

Acontece nos dias 09, 10 e 11 de novembro de 2016 em Florianópolis a XVI edição do Seminário Nacional de Bombeiros (SENABOM), considerado o maior evento de prevenção e combate a incêndio do País.

Na oportunidade deste evento, na data de ontem (08Nov16) o Comandante do CBMRS, Coronel Adriano Krukoski Ferreira, participou da reunião do Conselho Nacional de Comandantes-Gerais das Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares (CNCG) que reúne os Comandantes Gerais de todos os Corpos de Bombeiros Militares do País.

 
Fonte:CBMRS

09-11-16

 



 

 

NOTA DE ESCLARECIMENTOS

 
 

Em virtude de matérias publicadas na imprensa do Rio Grande do Sul e de informações imprecisas publicadas em órgãos de comunicação referentes à suspensão do recebimento de Planos de Prevenção e Proteção Contra Incêndios, o Comando do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul presta os seguintes esclarecimentos:

1. A decisão de não mais receber os PPCIs até que seja regulamentada a matéria tem por objetivo único a proteção dos usuários que, sem dispor das regras a serem seguidas pela legislação, encontrará dificuldades na confecção dos novos PPCIs, gerando retrabalho tanto para os proprietários/responsáveis técnicos quanto para os profissionais do Corpo de Bombeiros Militar;

2. Não há qualquer vinculação entre a decisão do Comando de sustentar o recebimento de novos PPCIs até que a regulamentação seja publicada, uma decisão de cunho técnico e protetivo do Estado e da comunidade, e o processo de estruturação do CBMRS, processo esse que se encontra bem encaminhado junto ao Governo do estado;

3. O Comando do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul refuta quaisquer vinculações entre tais matérias e assegura à comunidade Rio-Grandense que não há qualquer dissenso ou tensão entre o CBMRS e o Governo do estado no que se refere tanto as atividades de prevenção contra incêndios quanto ao processo de estruturação do novo Corpo de Bombeiros Militar.

 

Adriano Krukoski

Cel QOEM – Cmt do Corpo de Bombeiros.

 

FONTE:Texto e foto: comunicação Social do CCBM

 21 de outubro de 2016 

 




COMUNICADO IMPORTANTE

PPCI, PSPCI e CLCB


 
 
 

Tendo em vista a vigência da Lei Complementar nº 14.924, de 22 de setembro de 2016, que alterou a Lei Complementar nº 14.376 de 26 de dezembro de 2013, sem a publicação do Decreto Estadual que regulamentará as adequações ao novo texto legislativo de segurança contra incêndios nas edificações e áreas de risco no Estado do Rio Grande do Sul, informamos que a partir do dia 23 de outubro de 2016, o Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul (CBMRS) não aceitará protocolos de novos Planos de Prevenção e Proteção contra Incêndio (PPCI), Planos Simplificados de Prevenção de Incêndio (PSPCI) e Certificados de Licenciamento do Corpo de Bombeiros (CLCB).

Os protocolos para reanálise, vistoria e revistoria, bem como os demais serviços de análise e vistoria dos processos já protocolados permanecerão com sua atividade normal.

Também, protocolos de PPCI para eventos temporários poderão ainda ser realizados diretamente nas Seções de Prevenção de Incêndios ou Assessorias de Atividades Técnicas do CBMRS.

Após a publicação do Decreto Estadual, cuja proposta de texto já foi encaminhada pelo Conselho Estadual de Prevenção e Proteção contra Incêndios (COESPPCI) ao Governo do Estado para apreciação e assinatura, e a atualização das Resoluções Técnicas sobre os procedimentos de encaminhamento dos PPCI, PSPCI e CLCB de acordo com a nova legislação, retomaremos o recebimento dos novos processos.

 

 

FONTE:Texto e foto: comunicação Social do CCBM

 21 de outubro de 2016 
 



 Incêndio é registrado próximo ao viaduto da Conceição,

em Porto Alegre / RS.

 

 Incêndio é registrado próximo ao viaduto da Conceição, em Porto Alegre  | Foto: Wilson Cardoso / Brigada Militar / CP Fogo atingiu um dos canteiros que fica embaixo da via

 

 

Um incêndio foi registrado na manhã desta quarta-feira embaixo do viaduto da Conceição, no Centro de Porto Alegre. De acordo com informações da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), as chamas atingiram um dos canteiros que ficam próximos à via. No local, o fogo consumiu restos de construção civil, lixos e tapumes de madeira. 

 A fumaça causada pelas chamas atrapalhou a visibilidade de motoristas que trafegavam pela faixa da esquerda, no sentido bairro-Centro, na saída do túnel da Conceição. O 1º Batalhão de Bombeiro Militar foi acionado para fazer o combate às chamas, que foram controladas minutos depois. Ninguém se feriu no incêndio e a suspeita é de que o fogo teria começado quando moradores de rua iniciaram o preparo do almoço.

Fonte:Correio do Povo

28/09/2016

 



 

Formatura de Aniversário da Escola de Bombeiros e Instituição da Academia de Bombeiro Militar 

 

Na tarde desta quinta-feira (22/09), ocorreu na Escola de Bombeiros (EsBo), a formatura alusiva ao 27º aniversário da Escola e  instituição da Academia de Bombeiros Militares (ABM).

O evento contou com a participação de autoridades civis e militares, dentre elas, o Comandante Geral da Brigada Militar, Coronel Alfeu Freitas Moreira, o Sub Comandante Geral, Coronel Andreis Silvio Dal’Lago, o Comandante do Comando do Corpo de Bombeiros Militar do RS, Coronel Adriano Krukoski Ferreira, o Comandante da Escola de Bombeiros, Major Romeu da Cruz Neto,  ex-comandantes da Escola, Comandantes dos Batalhões de Bombeiros de todo o Estado e o Comandante do Grupamento de Busca e Salvamento.

Durante a formatura houve a entrega da Comenda de Bombeiros a servidores do Corpo de Bombeiros Militar.

O Comandante Geral da Brigada Militar, Coronel Alfeu e o Comandante do Corpo de Bombeiros Militar, Coronel Krukoski, destacaram o importante apoio prestado pela Brigada Militar na emancipação do Corpo de Bombeiros, bem como o trabalho realizado por ambas as Instituições no cumprimento de suas atribuições institucionais junto à Sociedade Gaúcha.

Após a formatura houve o descerramento da placa de instituição da Academia de Bombeiro Militar.

 

FONTE:Texto e foto: comunicação Social do CCBM

22/09/16

 



 

Falta de efetivo suspende atendimento de ocorrências no Corpo de Bombeiros de Sapucaia/RS.

 

Nota publicada no Facebook da corporação adverte que situação vai se repetir nos dias 26 e 27

Uma nota publicada hoje na conta de Facebook do Corpo de Bombeiros de Sapucaia do Sul, na região Metropolitana, adverte que, em função da falta de efetivo e de horas extras, a corporação suspendeu, pela primeira vez, em 25 anos, o atendimento externo por um intervalo de 12 horas, até as 8h desta quinta-feira. Nesse período, pedidos de socorro devem ser encaminhados às guarnições de municípios limítrofes, como Esteio e São Leopoldo.

O comunicado salienta que só um militar ficou trabalhando no turno da noite, justamente para fazer a guarda e a proteção do aquartelamento e o direcionamento das ocorrências via telefone e rádio para os quarteis mais próximos. A nota, que não é assinada pelo comandante local, também deixa claro o risco do aumento do tempo de resposta das guarnições para prestar o atendimento, e adverte que a situação vai se repetir nas noites de 26 e 27 de setembro.

Consultado, o chefe do Estado Maior do Corpo de Bombeiros, tenente-coronel Marcelo Maya, admitiu o impasse. Ele reconhece que a falta de efetivo, motivada pelas aposentadorias sem reposição, força o comando a fazer manobras operacionais, sobretudo no fim de cada mês. De acordo com o oficial, o problema já havia sido registrado na região da Serra e decorre, também, de operações especiais ou realizadas de forma pontual, fazendo com que seja atingida a quota mensal de horas extras e obrigando a tomada de medidas de contenção.

Veja a nota na íntegra:

SUSPENSÃO TEMPORÁRIA DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS do Corpo de Bombeiros Militar de Sapucaia do Sul

Apesar dos pesares, boa noite, comunidade sapucaiense.

É com grande lástima que, hoje (21/09/2016), trazemos a vocês um DIA HISTÓRICO do qual não iremos querer lembrar: é a primeira vez na história deste CB que, devido à FALTA DE EFETIVO e HORAS EXTRAS, este quartel não atenderá a ocorrências no município de Sapucaia do Sul/RS das 20h deste dia às 08h do dia seguinte (22/09/2016).

Por isso, neste CB haverá SOMENTE 1 MILITAR neste turno da noite (20:00X08:00), justamente para guarda e proteção do aquartelamento e direcionamento das ocorrências via TELEFONE e RÁDIO para os quartéis dos municípios mais próximos.

Desse modo, as ocorrências no município de Sapucaia do Sul serão atendidas pelos quartéis dos Municípios limítrofes: São Leopoldo e Esteio, o que, inevitavelmente, aumentará o tempo de resposta das guarnições para prestar o devido atendimento.

Por fim, informamos ainda que este fato se repetirá nos dias 22, 26 e 27 deste mesmo mês de setembro, sempre no seguinte horário: 20:00X08:00.

 
 
Fonte:Rádio Guaíba
21/09/16


 

 Bento Gonçalves / RS recebe força-tarefa para agilizar primeira análise do PPCI 

 

Bombeiros de cinco municípios participam do mutirão até sexta-feira 

Bento Gonçalves recebe força-tarefa para agilizar primeira análise do PPCI Roni Rigon/Agencia RBS

 

Bento Gonçalves é a terceira cidade da Serra Gaúcha a receber uma força-tarefa que pretende diminuir ou zerar a fila de espera para a primeira análise dos Planos de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI). Desde segunda-feira, o município conta com o apoio de cinco profissionais com experiência no tema.

Conforme o titular do 5º Comando Regional de Bombeiros (5º CRB), tenente-coronel Cleber Valinodo Pereira, atualmente, a espera em Bento Gonçalves chega a 190 dias. A expectativa é reduzir este número para até 90 dias, meta estabelecida pelo Comando-Geral dos Bombeiros na Operação Contagem Regressiva. Os cinco bombeiros vieram de Gramado, Flores da Cunha, Caxias, Farroupilha e Canela devem reforçar os trabalhos até sexta-feira. Dependendo da demanda, os servidores podem permanecer até duas semanas na cidade.


— Nós entendemos que é inadmissível um profissional entrar com um projeto em janeiro e demorar seis meses para esse projeto ser aberto. Porém, temos o outro lado: a partir do momento que enviamos a notificação de correção, é importante que o profissional responsável corrija o problema o mais rápido possível e dê entrada novamente — reforça o tenente-coronel.

Segundo o comandante, a proposta é de que a primeira análise dos projetos fique dentro da meta até novembro. Após, muitos servidores são deslocados para atender operações e eventos de verão, como a Operação Golfinho e Natal Luz, e não podem integrar a força-tarefa.

— Nós não podemos entrar no período de férias com esses projetos atrasados, senão vai ser um acúmulo muito grande. Outra preocupação é que o Corpo de Bombeiros também não deseja travar a economia das cidades; pelo contrário, desejamos alavancar — reforça o titular do 5º CRB.

Em Caxias do Sul, em duas semanas de trabalho intensificado em junho, a espera havia caído de 180 para 95 dias. Atualmente, o prazo diminuiu ainda mais e chega a 78 dias. Para a fila de espera encolher, 10 bombeiros estiveram na cidade para reforçar as primeiras análises do PPCIs represados.

Farroupilha zerou a fila

Em Farroupilha, a força-tarefa zerou a fila para primeira análise dos PPCI¿s. Antes, o tempo de espera era maior que cinco meses, segundo o tenente Ailton Borges Bohm. O reforçou atuou na cidade entre 29 de agosto e 2 de setembro.

A operação contou com o apoio de cinco bombeiros vindos de Canela, Bento Gonçalves, Caxias do Sul, Vacaria e Flores da Cunha, além do efetivo de Farroupilha. Durante os cinco dias, 214 PPCI’s foram verificados e outros 80 foram reanalisados. Conforme o tenente, 75% dos documentos não foram aprovados na primeira análise. O tempo de readequação do projeto é de até 30 dias.

— A operação funciona porque uma cidade ajuda a outra e assim o nosso trabalho ganha agilidade — diz o tenente Ailton Borges Bohm.

 

Fonte:clicrbs

13/09/16

 



 

 Controlado incêndio em fábrica desativada em Teutônia

 

Local já havia sido atingido pelo fogo em abril

 

Bombeiros Voluntários de Teutônia, com o apoio da corporação militar de Estrela, controlaram um incêndio ocorrido nessa madrugada em uma fábrica de calçados atualmente desativada, no bairro Canabarro, em Teutônia, no Vale do Taquari. O fogo começou por volta das 23h desse sábado e só foi controlado perto das 6h30min de hoje. Conforme os bombeiros, é a segunda vez no ano que a indústria calçadista Blip é atingida pelo fogo. A primeira ocorrência havia sido registrada em abril.

Ainda de acordo com os bombeiros, o local, apesar de abandonado, tinha quantidade expressiva de couro, calçados e papel. Nove bombeiros trabalharam no combate às chamas e utilizaram cerca de 75 mil litros de água. As causas do incêndio ainda não se esclareceram.

 
 
Fonte:Guilherme Kepler/Rádio Guaíba
11/09/16


 

 

Incêndio em indústria deixa um morto e três feridos em Cachoeira do Sul

 

Princípio de incêndio aconteceu em uma caldeira da estrutura de armazenagem de grãos

 

Incidente ocorreu no início da manhã de hoje. Foto: Milos Silveira/Jornal O Correio

Incidente ocorreu no início da manhã de hoje. Foto: Milos Silveira/Jornal O Correio

Um princípio de incêndio na indústria Granol, localizada em Cachoeira do Sul, deixou um morto e três feridos, na madrugada desta sexta-feira. Conforme o Corpo de Bombeiros do município, o incidente ocorreu, por volta de 5h30min, em uma caldeira que abastece de calor uma estrutura de armazenagem de grãos. Quatro funcionários inalaram a fumaça produzida com a queima do estoque.

Os quatro foram encaminhados para o Hospital de Caridade e Beneficência do município, mas um deles não resistiu. Roque Hammes, de 48 anos, era encarregado do turno da noite. As outras três pessoas seguem internadas na casa de saúde.

Segundo o Corpo de Bombeiros, a estrutura de armazenagem de grãos teve superaquecimento com a queima de lenha junto à caldeira, o que provocou o princípio do incêndio. A Polícia Civil vai agora ouvir os envolvidos para elucidar o caso.

Ainda de acordo com os Bombeiros,  a empresa tinha o alvará de funcionamento em dia. A indústria informou, através de nota, que suspendeu as atividades no dia de hoje por conta do ocorrido e está empenhada em esclarecer o ocorrido.

Veja a nota de pesar divulgada pela empresa:

A GRANOL INDÚSTRIA COMÉRCIO E EXPORTAÇÃO S/A vem a público lamentar o falecimento do colaborador Roque Hammes, ocorrido por volta das 7h15min de hoje, no Hospital de Caridade e Beneficência de Cachoeira do Sul/RS. As causas do acidente ainda estão sendo apuradas pelo IGP – Instituto Geral de Perícia do Rio Grande do Sul – e serão, oportunamente, divulgadas através da imprensa.

A GRANOL esclarece, que atende às Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho, possuindo em seu quadro de funcionários Brigada de Incêndio – formada por colaboradores (brigadistas) capacitados; CIPA – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes; entre outros órgãos de prevenção de acidentes, tudo feito no intuito de preservar a integridade de seu bem maior, os seus colaboradores.

Em respeito a ROQUE, GRANOL informa que suspendeu a maioria de suas atividades durante todo o dia e somente serão reiniciadas em momento oportuno. Por fim, a companhia esclarece que está empenhada e comprometida com o pronto esclarecimento dos fatos, colaborando com as autoridades para a elucidação do acontecido.

Atenciosamente, GRANOL INDÚSTRIA, COMÉRCIO E EXPORTAÇÃO S/A.

 
Fonte:Rádio Guaíba
09 /09/2016 
 

 



 

 

Nova designação do 11º Comando Regional de Bombeiros

 
 

O 11º Comando Regional de Bombeiros, sediado em Santo Ângelo foi criado através da portaria 03/DA/SMOV/2002, de 22 novembro de 2002, com uma área de responsabilidade circunscricional abrangendo 39 municípios, e área geográfica de 25.408 km², atendendo uma população de aproximadamente 611.469 habitantes, sendo constituído de cinco Pelotões de Bombeiro Militar situados nos municípios de: Santo Ângelo, São Luiz Gonzaga, São Borja, Santa Rosa, Giruá e um Grupo de Bombeiro Militar no município de Itaqui.

A alteração da designação de 11º COMANDO REGIONAL DE BOMBEIROS para 11º BATALHÃO DE BOMBEIROS MILITAR ocorreu em virtude da promulgação da Lei Complementar nº 14.920, de 01 de agosto de 2016 (publicada no DOE n.º 146, de 02 de agosto de 2016) que dispõe sobre a Organização Básica do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio Grande do Sul. Tal legislação alterou também as nomenclaturas dos Subgrupamentos de Combate a Incêndio, das Seções de Combate a Incêndio e dos Grupos de Combate a Incêndio, os quais passaram a ser denominados Companhias de Bombeiro Militar, Pelotões de Bombeiro Militar e Grupos de Bombeiro Militar, respectivamente.Texto: 11º BBM

FONTE;CBMRS
9 de setembro de 2016
 


 

Quatro pessoas ficam feridas em incêndio em Caxias do Sul / RS

 

 Segundo o Corpo de Bombeiros, duas crianças e um casal foram encaminhados ao hospital

 

Quatro pessoas ficam feridas em incêndio em Caxias do Sul Roni Rigon/Especial

 
 
Quatro pessoas ficaram feridas em um incêndio em uma casa às margens da ERS-122, próximo ao acesso à Estrada dos Romeiros, em Caxias do Sul, na madrugada desta segunda-feira. Os bombeiros foram acionados por volta de 1h50min.
 

Os feridos são um homem e uma mulher e dois meninos, de um e três anos. O casal, que não teve a identidade revelada, foi levado ao Hospital Pompéia. Eles estão na emergência com queimaduras de 2º e 3º terceiro grau. 

As crianças foram encaminhadas ao Hospital Geral. Os meninos estão na UTI pediátrica, em estado grave.

A casa de madeira foi totalmente destruída pelas chamas. Não há informações sobre o que pode ter provocado o incêndio.

Pouco depois das 5h30min, o Corpo de Bombeiros de Caxias do Sul foi acionado para atender a uma ocorrência no interior do município, na 8ª Légua. Segundo os bombeiros, o incêndio atingiu uma casa, que foi totalmente destruída pelas chamas. Ninguém se feriu.

Fonte:Clicrbs
05/09/2016


 

Incêndio atinge e destrói casa na Zona Norte de Porto Alegre / RS.

  Residência, que era de madeira, foi totalmente consumida pelas chamas.
Três caminhões dos bombeiros foram utilizados para combater o fogo.

 

Incêndio, fogo, Rua Quintino Bocaiúva, bairro Rio Branco, Zona Norte, Porto alegre (Foto: Guilherme Abitante/Arquivo Pessoal)

Um incêndio destruiu uma casa na Rua Quintino Bocaiúva, no bairro Rio Branco, na Zona Norte de Porto Alegre. Por volta das 23h de sábado (27), vizinhos ouviram barulhos e perceberam o fogo, que consumiu residência, que era de madeira.

Três caminhões do Corpo de Bombeiros foram empregados para combater o fogo. Os moradores do prédio, ao lado da casa, deixaram os apartamentos por algumas horas por causa da fumaça.

 Incêndio, fogo, Rua Quintino Bocaiúva, bairro Rio Branco, Zona Norte, Porto alegre, bombeiros (Foto: Zete Padilha/RBS TV)

 

Ninguém ficou ferido no incêndio. A família que morava na casa estava em um aniversario quando o fogo começou. Parte da Rua Quintino Bocaiuva ficou totalmente bloqueada por mais de duas horas para o trabalho dos bombeiros.

O trânsito foi liberado já na madrugada deste domingo (28). As causas do incêndio ainda são desconhecidas e serão apuradas.

 

Fonte: G1 GLOBO

28/08/16

 




 

Votação para alterar a Lei Kiss é adiada para

a próxima terça-feira

 

Sessão plenária foi cancelada devido à morte do ex-vereador e ex-deputado Pedro Américo Leal

 

Votação para alterar a Lei Kiss é adiada para a próxima terça-feira Jean Pimentel/Agencia RBS

A sessão plenária que aconteceria nesta terça-feira na Assembleia Legislativa, em Porto Alegre, foi cancelada devido à morte do ex-vereador e ex-deputado Pedro Américo Leal, aos 92 anos. Com isso, a votação do projeto de lei complementar do Executivo que propõe alterações que flexibilizam a chamadaLei Kiss foi adiada para daqui uma semana, na próxima terça-feira.

 

As mudanças na lei preveem a redução da burocracia na concessão de alvarás de bombeiros a partir da informatização de processos. Técnicos também terão maior responsabilidade em relação ao projeto. A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) aprovou a constitucionalidade da matéria, cuja discussão do mérito deverá ser aprofundada em plenário, durante o exame das 11 emendas apresentadas. A sessão deve começar às 14h.

 

Segundo os parlamentares, as adequações são um aperfeiçoamento da lei, com o objetivo de desburocratizar a expedição de alvarás em casos de baixo e médio riscos.

Terceira modificação
Se aprovada, essa será a terceira modificação significativa da legislação de prevenção a incêndios do Estado desde a tragédia que matou 242 pessoas na boate Kiss, em janeiro de 2013. As sugestões de adequações foram enviadas pelo Executivo, sob orientação do Conselho Estadual de Segurança, Proteção e Prevenção Contra Incêndio, formado por empresários e produtores rurais.

Pedro Américo Leal
O corpo é velado no Salão Júlio de Castilhos da Assembleia Legislativa até às 17h. As informações são da Rádio Gaúcha.

 

 

Nascido no Rio de Janeiro (RJ), Pedro Américo Leal chegou a Porto Alegre em 1944. Além de político, foi professor de educação física, psicólogo e coronel do Exército. No governo de Peracchi Barcelos, ocupou o cargo de chefe de Polícia do Estado.

Na política, foi deputado estadual por quatro mandatos, entre 1970 e 1986, e vereador da Capital por três mandatos.

 

Fonte: Diario Santa Maria

23/08/16

 



 

 

Bombeiros capturam quati dentro de Hospital em Santa Maria RS

Caso aconteceu na noite do último sábado (20)

 

Bombeiros capturam quati dentro de hospital em Santa Maria Bombeiros / Divulgação/Divulgação

 

 

O Corpo de Bombeiros de Santa Maria capturou um quati que estava dentro do hospital da Unimed, na Rua Venâncio Aires, no centro de Santa Maria, na noite do último sábado.

Conforme a corporação, colaboradores da Unimed ligaram para o quartel por volta das 20h30min, depois que o bicho entrou no hospital. Com isso, três bombeiros foram até o local, cercaram e capturaram o animalzinho.

Ele foi levado até o quartel da corporação, na Rua Cel. Niederauer, onde permaneceu durante a noite. 

– Ele era bem dócil e estava bem alimentado. Foi consultar – brincou um dos bombeiros que capturaram o bicho.

Na manhã deste domingo, foi entregue ao batalhão ambiental da Brigada Militar (BM), que ficou responsável por devolver o quati à natureza.

 

Fonte: Diário de Santa Maria

21/08/2016




 

 

Familiares de vítimas contestam entrega de prédio da Boate KISS à empresa proprietária

 

Juiz determinou devolução do imóvel a empresa proprietária em Santa Maria.
Associação gostaria que o local fosse transformado em memorial.

 


A partir desta terça-feira (16), a Brigada Militar deixa de ser responsável pela segurança do prédio onde funcionava a Boate Kiss, em Santa Maria RS, na Região Central do Rio Grande do Sul. Na última sexta (12), a justiça determinou devolução do imóvel ao proprietário, que pretende construir um hotel no local. O incêndio na casa noturna, ocorrido em janeiro de 2013, causou 242 mortes.

No entanto, a Associação dos Familiares de Vítimas e Sobreviventes (AVTSM) não gostou da decisão do juiz Ulysses Fonseca Louzada, responsável pelo processo criminal relativo à tragédia.

A entidade gostaria que o local fosse desapropriado para dar lugar a uma espécie de memorial, proposta também sugerida pela Prefeitura de Santa Maria e Ministério Público.

A estrutura quase não sofreu alterações desde o incêndio. A fachada virou espaço de protesto e pedidos de justiça.

“Que dê esse espaço para os familiares e à sociedade de Santa Maria, para que se reflita qual é o valor da vida, só isso que a gente quer. A questão do memorial é mais longa, tem que ser discutida com Santa Maria”, diz o presidente da associação, Sérgio Silva.

O juiz também determinou que os pertences das vítimas que ainda estão dentro da boate sejam entregues aos familiares.

Em dezembro de 2014, o prédio passou por um processo de limpeza e descontaminação. Foram encontrados sapatos, roupas e outros objetos, que foram colocados em tonéis e deixados dentro do prédio porque continham elementos tóxicos, que são prejudiciais à saúde.

 

Incêndio na casa noturna ocorreu em janeiro de 2013
 

Com a decisão judicial, a segurança do prédio passa a ser responsabilidade da empresa dona do local. Desde o incêndio, a função estava a cargo da Brigada Militar. Policiais militares se revezavam 24 horas por dia para garantir que ninguém entrasse ou depredasse a boate.

“Eram cinco soldados que nós tínhamos que escalar nesse posto, diariamente. Isso vai representar uma viatura a mais em policiamento, em 12 horas”, explica o tenente da Brigada Militar, Richards Caetano. Os PMs e a viatura que ficavam no local serão deslocados para o policiamento ostensivo na cidade.

O advogado da empresa proprietária do prédio disse que a intenção é construir um hotel no local. Por enquanto o espaço deve ficar fechado, até que seja feita uma avaliação sobre as condições estruturais.

Os familiares lembram que, em Buenos Aires, a boate República Cromañon, que pegou fogo em 2004 e deixou 193 mortos, foi interditada e segue do mesmo jeito até hoje.

 

Entenda:
O incêndio na boate Kiss, em Santa Maria, ocorreu na madrugada do dia 27 de janeiro de 2013. A tragédia matou 242 pessoas, sendo a maioria por asfixia, e deixou mais de 630 feridos. O fogo teve início durante uma apresentação da banda Gurizada Fandangueira e se espalhou rapidamente pela casa noturna, localizada na Rua dos Andradas, 1.925.

O local tinha capacidade para 691 pessoas, mas a suspeita é que mais de 800 estivessem no interior do estabelecimento. Os principais fatores que contribuíram para a tragédia, segundo a polícia, foram: o material empregado para isolamento acústico (espuma irregular), uso de sinalizador em ambiente fechado, saída única, indício de superlotação, falhas no extintor e exaustão de ar inadequada.

Ainda estão em andamento os processos criminais contra oito réus, sendo quatro por homicídio doloso (quando há intenção de matar) e tentativa de homicídio, e os outros quatro por falso testemunho e fraude processual. Os trabalhos estão sendo conduzidos pelo juiz Ulysses Fonseca Louzada.

Entre as pessoas que respondem por homicídio doloso, na modalidade de “dolo eventual”, estão os sócios da boate Kiss, Elissandro Spohr (Kiko) e Mauro Hoffmann, além de dois integrantes da banda Gurizada Fandangueira, o vocalista Marcelo de Jesus dos Santos e o funcionário Luciano Bonilha Leão. Os quatro chegaram a ser presos nos dias seguintes ao incêndio, mas a Justiça concedeu liberdade provisória a eles em maio de 2013.

Atualmente, o processo criminal ainda está em fase de instrução. Após ouvir mais de 100 pessoas arroladas como vítimas, a Justiça está em fase de recolher depoimentos das testemunhas. As testemunhas de acusação já foram ouvidas e agora são ouvidas as testemunhas de defesa. Os réus serão os últimos a falar. Quando essa fase for finalizada, Louzada deverá fazer a pronúncia, que é considerada uma etapa intermediária do processo.

Fonte: G1-Globo

16/08/2016

 


  

Incêndio destrói casa no bairro Vergueiros, em Caxias do Sul – RS

 

  Residência de madeira ficou completamente destruída. 

 

Incêndio destrói casa no bairro Vergueiros, em Caxias Diogo Sallaberry / Agência RBS/Agência RBS

 

 Um incêndio de causas ainda desconhecidas destruiu completamente uma casa na Rua da Felicidade, bairro Vergueiros, em Caxias do Sul, na tarde desta segunda-feira. A dona da casa, Dolores Capitânio, que mora sozinha, estava estendendo roupas no terreno e conversando com o filho, Eduardo Capitânio, quando ambos ouviram um estouro, por volta de 13h30min. Ao olhar para a residência, viram que o telhado já estava tomado pelo fogo e só puderam retirar os dois cachorros que estavam em suas casinhas, bem próximo à casa.

— Minhas roupas, meus documentos, os remédios que eu tomo pra depressão. Perdi tudo, porque não deu pra entrar na casa. Só consegui ir até a porta, mas tinha muito fogo — conta Dolores, que recebia o consolo de familiares na casa de uma irmã, próxima ao terreno. 

Da casa de Dolores, que era de madeira e foi construída pelos familiares, não sobrou nada. Os bombeiros foram chamados e combateram o fogo, impedindo que pudesse se espalhar para outras moradias próximas, que chegaram a ter madeiras chamuscadas. Cinco crianças que brincavam no terreno, todas da família de Dolores, foram levadas para dentro de outras casas e não se feriram, nem inalaram fumaça. Eduardo Capitânio considera que o fogo pode ter sido provocado por falha na rede elétrica, que é regularizada, ou por alguma brasa caída do fogão, que estava aceso.

 — Foi um sacrifício pra poder dar essa casa pra minha mãe morar. Ela está desempregada, eu também estou. Toda a ajuda com material nesse momento é bem-vinda. A mão de obra somos nós mesmos — diz o filho.

Felizmente ninguém se feriu.

Interessados em ajudar a família podem entrar em contato pelo telefone (54) 9119.4431, com Eduardo. 

 

Fonte: Clicrbs

15/08/2015

 


  

Homem fica ferido e mais de 500 aves morrem

em incêndio no RS.

 

Fogo teria iniciado no sistema de aquecimento do aviário, diz Bombeiros.

Homem teria queimado parte de uma das mãos ao tentar apagar fogo

Incêndio teria iniciado por sistema de aquecimento do aviário (Foto: Carlos Dickow, divulgação/Folha do Mate)

Um homem de 60 anos ficou ferido e mais de 500 aves morreram em um incêndio nesta sexta-feira (12) em um aviário, no interior de Venâncio Aires, no Vale do Rio Pardo, no interior do Rio Grande do Sul. Segundo o Corpo de Bombeiros, o fogo começou por volta do meio-dia e teria iniciado no sistema de aquecimento do aviário.

Chamas destruiram parte da cobertura de estrutura (Foto: Carlos Dickow, divulgação/Folha do Mate)

Chamas destruiram parte da cobertura de estrutura

 

O fogo consumiu cerca de 40 metros quadrados do espaço de um espaço de mil metros quadrados. Além das aves, perdeu-se bebedouros e 230 quilos de ração.

O homem, que é proprietário do aviário, teria queimado parte de uma das mãos ao tentar controlar o fogo, mas ficou levemente ferido.

A propriedade rural fica em Linha Andréas, distante 32 quilômetros do centro da Venâncio Aires.

Fonte: G1-GLOBO

12/08/2016



Juiz determina a devolução do prédio da Boate KISS à empresa proprietária no RS

Decisão é do juiz Ulysses Louzada, responsável pelo processo criminal.
Imóvel estava interditado devido a um pedido de reconstituição da tragédia.

 

Mais de três anos após um incêndio causar 242 mortes, o prédio onde funcionava a Boate Kiss em Santa Maria terá de ser devolvido à empresa Eccon Empreendimentos de Turismo e Hotelaria, proprietária do imóvel. A decisão é do juiz Ulysses Fonseca Louzada, responsável pelo processo criminal relativo à tragédia ocorrida em janeiro de 2013 na cidade da Região Central do Rio Grande do Sul.

“Determino a imediata liberação do prédio onde funcionava a Boate Kiss, que ficará a cargo e responsabilidade de sua proprietária, ora requerente”, diz o despacho da última quarta-feira (10) assinado pelo magistrado, que estipulou um prazo de cinco dias para que a Brigada Militar deixe de fazer a segurança do local. “Após o prazo, a segurança ficará a cargo da proprietária.”

Alguns pertences de vítimas do incêndio ficaram dentro do prédio. Em relação a estes bens, Louzada determinou que sejam levados a uma delegacia de polícia, e que a Associação dos Familiares de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria (AVTSM) seja notificada para que familiares possam ir buscar os objetos.

O prédio havia sido interditado pela Justiça devido a um pedido de reconstituição do incêndio. Em dezembro do ano passado, a construção passou por uma limpeza devido ao risco de que ainda houvesse substâncias tóxicas decorrentes da queima da espuma no teto da casa noturna, o que foi responsável pela maioria das mortes. 

Fonte: G1-Globo

12/08/2016

 



 

Bombeiros recebem 5 cães no Vale do Rio Pardo para ajudar em buscas

 

Região registra com frequência ocorrências de pessoas desaparecidas. 

Animais são adestrados para atuar em áreas rurais e até debaixo d’água.

 


O 6º Comando Regional dos Bombeiros em Santa Cruz do Sul, no Vale do Rio Pardo, Rio Grande do Sul, recebeu cinco cães nesta quarta-feira (10). Os animais são adestrados e vão auxiliar na busca e no salvamento de pessoas em áreas rurais, de mata fechada e até mesmo embaixo d’água.

 

Cães chegaram na quarta-feira ao comando em Santa Cruz do Sul, RS (Foto: Reprodução/RBS TV)

Cães chegaram na quarta-feira ao comando em Santa Cruz do Sul, RS

Cães são treinados para ajudar na busca a desaparecidos (Foto: Reprodução/RBS TV)

Cães são treinados para ajudar na busca a desaparecidos 

 

Um canil foi construído na sede do batalhão para abrigar Aquiles, Argos, Aurora, Lana e Laion. Os cães são treinados conforme a realidade da Região dos Vales, que registra frequentemente ocorrências de pessoas desaparecidas em lugares de difícil acesso.

Durante as operações, os animais vão sinalizar as descobertas pelo latido.

Segundo o tenente-coronel do Corpo de Bombeiros do Vale do Rio Pardo, Cesar Bonfanti, até então era preciso solicitar cães para o Corpo de Bombeiros de Porto Alegre, principalmente nos casos envolvendo pessoas desaparecidas.

“A partir de agora, nós já vamos contar com um cão que já está em fase final de treinamento, e os outros estão começando esse processo, que demora entre um e um ano e meio”, informou Bonfanti.

Os bombeiros da cidade ainda aguardam a certificação da Comissão do Comando do Corpo de Bombeiros do Rio Grande do Sul e do Conselho Nacional da Corporação.


 

Fonte: GI-GLOBO

11/08/2016



 

 

 BBM realiza treinamento com utilização de PA 

 

Na terça-feira (09/08), Bombeiros Militares da Seção de Combate a Incêndio da Assunção realizaram  um  treinamento utilizando equipamentos de proteção respiratória (PA).

O treinamento   tinha   como   principal   objetivo   fazer   com   que   os     Bombeiros   Militares aprimorassem a  importância do  trabalho  em  equipe, conhecessem  melhor o material, proporcionando melhores condições  de  trabalho para cumprimento das missões diárias do Corpo de Bombeiros.

As atividades foram coordenadas pelo Major Moraes, Comandante da 2ª Cia do 1º BBM,  1º Sargento Vieira, Major Zaniol Comandante da 1ª Cia do  1°  BBM.

O Comandante  do  1º Batalhão de Bombeiros Militares, Tenente Coronel Canto, também se fez presente no treinamento.

 

                   

   Texto e fotos: 1º BBM
Adaptação de Texto: Comunicação Social do CBMRS

 

Fonte: CBMRS

11/08/2016

 



 

 

2ª Companhia do 3º Batalhão de Bombeiros Militares

recebe novos capacetes

Nesta segunda-feira (08/08), foi realizada na sede da 2ª Companhia do 3º Batalhão de Bombeiros Militarares, uma formatura onde foram entregues 45 capacetes de bombeiro, adquiridos com verba do FUMBOM e entregues à guarnição de serviço no dia.

Participaram do ato de entrega o Capitão Madruga, Comandante do 1ºPel/2ªCiaBM/3ºBBM e Chefe da AAT/2ªCiaBM/3ºBBM, 1º Tenente Talayer, Cmt  do 2º PelBM/2ªCiaBM/3ºBBM, e o 1º Sgt Madruga, Auxiliar do B-4/2ªCiaBM/3ºBBM.

 

                        

Texto e fotos: 3º CRB
Adaptação de texto: Comunicação Social do CBMRS

Fonte: CBMRS

11/08/2016

 


  

PPCI DA EXPOINTER SEGUE IRREGULAR


A um mês do início da Expointer 2016, o Sindicato dos Engenheiros volta a alertar o Poder Público e a sociedade sobre as irregularidades que vêm sendo cometidas em relação ao Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI) do Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio / RS. 

 

 

 

O Poder Público vem reiteradamente utilizando-se da contratação emergencial de maneira contrária aos ditames da Lei da Licitações, que autoriza esta modalidade apenas em situações específicas relacionadas na própria 8666. Além disso, conforme decisão do STJ, não pode ser considerada emergencial situação comumente criada pela desídia do Poder Público, ainda mais quando aplicada a um evento, no caso a Expointer, que ocorre todos os anos no mesmo local e período.

 

 



A irregularidade foi denunciada pelo SENGE no ano passado aos órgãos de fiscalização, e nesta terça-feira (26) mais subsídios foram levados à Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público, órgão onde tramita o inquérito. Em reunião com a promotora Maria Lúcia Algarve, a advogada Karla Vitola, que presta assessoria jurídica ao SENGE, entregou mais documentos que comprovam a situação irregular da empresa contratada na edição passada da Expointer , que teve seu registro junto ao CREA negado por não ter como objeto a prestação de serviços de Engenharia, e sim de comércio varejista, o que impossibilita que atue no ramo de PPCIs. As informações foram obtidas através de fiscalização realizada pelo CREA e incluem itens referentes à qualidade do projeto apresentado, que não garante a segurança do Parque e dos visitantes.


Assim, o Sindicato dos Engenheiros reitera o alerta ao Governo do Estado, aos órgãos de fiscalização e a sociedade sobre os riscos que o descumprimento da legislação de prevenção de incêndios pode acarretar a todos, a exemplo de tragédias ocorridas recentemente e amplamente discutidas, bem como a necessidade de observar a capacidade técnica das empresas e profissionais contratados. 

 

FONTE: SENGE RS

26/07/2016

 

 




Incêndio em centro de reabilitação deixa 7 mortos

em Arroio dos Ratos / RS

 

As vítimas estavam em uma área gradeada e por isso não conseguiram sair

 


Um incêndio deixou sete mortos em um centro de reabilitação no Bairro Vila Pinho, em Arroio dos Ratos, na madrugada desta quinta-feira (21). As chamas começaram por volta de 1h no Centro Novos Horizontes, que fica na Rua Emílio Campos. Equipes da Brigada Militar e do Corpo de Bombeiros de cidades vizinhas prestaram atendimento.

Das sete vítimas, seis morreram no local e uma em atendimento no hospital de Arroio dos Ratos. Seis morreram por inalar fumaça e uma foi carbonizada. Além disso, dois internos ficaram feridos e foram encaminhados ao Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre. Um monitor foi levado ao Hospital Cristo Redentor.

Os mortos foram identificados como Gabriel Souza Rosa, Samir Prestes Ferreiro, Paulo Herivelto, Gustavo de Brito Fagundes, Elivelton Silva, Matheus Scheidt Petrich e Adriano de Souza Antunes de Souza.

                                

 

As vítimas estavam em uma área gradeada e por isso não conseguiram sair após o início das chamas. Uma das suspeitas é de que o fogo tenha sido provocado pelos próprios internos, no entanto a perícia foi acionada e vai apontar as causas do incêndio.

Havia cerca de 40 pessoas no centro de reabilitação no momento do fogo. Os demais foram encaminhados à delegacia para prestar depoimento.

 

 

Quatro autuados
O delegado da cidade, Pedro Urdangarin, afirmou nesta manhã que pelo menos três pessoas foram autuadas em flagrante pelo incêndio – o coordenador, um supervisor e um monitor da clínica. Eles foram levados à delegacia da cidade.

Outras quatro pessoas são procuradas e também devem ser indiciadas. Entre elas está um diretor da clínica que chegou a ir foi até o local logo após o incêndio, mas foi agredido pelos internos e teve um dos vidros do carro quebrado. O homem deixou a região e ainda não foi localizado. 

“Essas pessoas serão presas em flagrante e encaminhadas ao sistema penitenciário”, disse o delegado.

Segundo ele, as autuações são por homicídio qualificado com dolo eventual e omissão de socorro. Os mortos estavam em um ala gradeada e não conseguiram sair. O delegado vai apurar os motivos do uso de cadeados nos quartos sem ter uma pessoa com as chaves no local.

 

FONE: Gaúcha

21/07/2016

 

 



Queda de marquise mata mulher e deixa outra ferida

em Porto Alegre / RS

 

Uma faixa da Rua Annes Dias está bloqueada para o atendimento

 

Duas pessoas foram atingidas por uma marquise que caiu na Rua Annes Dias, próximo à Avenida Salgado Filho, na região da Santa Casa de Porto Alegre, na manhã desta quinta-feira (21). Brigada Militar, Bombeiros, Samu, e EPTC fazem o atendimento. 

Uma das vítimas morreu no local. Tatiani Duarte da Silva, 34 anos, trabalhava nas proximidades e estava com a mãe, que foi levada ao hospital em estado de choque, sem ferimentos. 

Eva Lenir Flores da Silva, moradora de Triunfo, também foi atingida pela estrutura, porém, levada com vida e consciente ao hospital, em estado grave, conforme os primeiros atendimentos realizados pelos bombeiros. Eva estava com a filha, que não ficou ferida.

 

                              

Uma faixa da Rua Annes Dias está bloqueada em função da ocorrência. 

Conforme o sargento Vanderlei Batista, do Corpo de Bombeiros, a revitalização de várias marquises está sendo realizada na região. “É bem provável que tenha havido uma falha na estrutura. Os peritos farão essa avaliação”, disse. Agentes do Instituto Geral de Perícias (IGP) estão em deslocamento para o local do acidente. 

De acordo com agentes da Defesa Civil, não havia sinalização no local da obra.

O sub-síndico do prédio, Fernando Silva, disse que a construção passava por uma reforma na fachada. Ele ainda disse que a marquise passou por vistoria no fim de 2014, que não apontou nenhum problema na estrutura. 

FONTE: Gaúcha

21/07/2016

 



 

  SENGE COBRA DO GOVERNO DO ESTADO SOLUÇÃO

PARA OS PPCI S

 

O Sindicato dos Engenheiros publicou apedido nesta quarta-feira (06) no qual a entidade denuncia mais uma vez as carências estruturais e a incapacidade técnica do Estado do Rio Grande do Sul, bem como o tratamento desrespeitoso dispensado aos engenheiros e arquitetos diariamente nas Seções Técnicas do Corpo de Bombeiros. Na publicação, o SENGE destaca mais uma vez os pontos que devem ser enfrentados, visando agilizar o processo de liberação dos projetos, e essencialmente o respeito aos profissionais envolvidos e o interesse público.

 

Fone: SENGE

06/07/2106

 



 

O Dia Nacional dos Bombeiros foi comemorado neste sábado (2) junto ao Monumento do Expedicionário

 

            

O Dia Nacional dos Bombeiros foi comemorado neste sábado (2) junto ao Monumento do Expedicionário, no Parque Farroupilha (Redenção), em Porto Alegre. O evento aconteceu um dia depois do governo do Estado encaminhar à Assembleia Legislativa projetos que marcam o início do desmembramento do Corpo de Bombeiros da Brigada Militar.

 
  Na cerimônia, que reuniu grande público, foram entregues medalhas do mérito de serviço ao primeiro tenente da Reserva Remunerada de Roraima Antônio Henrique de Souza Cruz Pereira e ao cabo de Mato Grosso Avalone Santos da Silva.
 
  Também foram entregues comendas para o comandante-geral da BM, coronel Alfeu Freitas Moreira; o comandante do 8º Batalhão Logístico do Exército Brasileiro, coronel Fabiano Correa de Lima; o subcomandante geral da BM, coronel Andreis Silvio Dal’Lago; o chefe do Estado Maior da BM, coronel Julio César Rocha Lopes; e o secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Fábio Branco, entre outros.
 
  O cão Luck foi agraciado junto com o terceiro sargento Gérson Meirelles dos Santos, do Serviço de Cinotecnia de Resgate do Rio Grande do Sul. O animal atuou durante anos no Corpo de Bombeiros e se aposentou por idade avançada, deixando como sucessor o cão Frank, que vai atuar nas Olimpíadas do Rio de Janeiro.
 
   A solenidade foi encerrada com o tradicional banho de mangueira nos oficiais promovidos no último mês de junho.
 
  O Comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Adriano Krukoski, destacou a importante missão dos combatentes do fogo. “Quero enaltecer a digna missão dos bombeiros. Sua atividade não se limita à extinção de incêndios. Também atua na prevenção de sinistros em geral, serviços de busca, resgate e salvamento e ações de defesa civil, auxiliando a população na proteção de suas vidas e na preservação de bens materiais”, afirmou.
 
Desvinculação
 
  O Comandante-geral da Brigada Militar, coronel Alfeu Freitas Moreira, saudou os bombeiros afirmando que a desvinculação da BM é um passo histórico. “Temos muito o que comemorar. Somos irmãos de farda e estaremos sempre próximos acompanhando essa jornada que se inicia cheia de desafios, mas também de superação, que faz parte da formação do bombeiro militar”, finalizou.
 
  O secretário de Segurança Pública, Wantuir Jacini, ressaltou o empenho do governo do Estado em garantir a estrutura para a independência da corporação. “Ontem foram encaminhados à Assembléia Legislativa projetos de lei que darão seguimento à desvinculação dos bombeiros. Esperamos que, em até 90 dias, todos os trabalhos estejam concluídos”, lembrou.
 
Histórico
 
  Decreto imperial assinado por Dom Pedro II em de julho de 1856 regulamentou a atividade de bombeiro no Brasil. A medida trouxe ao imperador o reconhecimento como Patrono do Corpo de Bombeiros nacional.
 
  Em Porto Alegre, o Corpo de Bombeiros foi criado pelas companhias seguradoras e inaugurado em 1895 com um efetivo de 17 funcionários, chamados de soldados do fogo. Com o crescimento das cidades, a corporação foi ampliada e equipada com materiais mais modernos. Os bombeiros foram fundidos à BM em 1935 quando houve a necessidade do serviço ser administrado e custeado pelas administrações públicas.
 
FONTE: CBMRS
06/07/2016



CREA – RS

“Projeto de desmembramento do Corpo de Bombeiros da BM vai à Assembleia”

 

O projeto de lei complementar que trata da Organização Básica do novo órgão do Corpo de Bombeiros foi encaminhado à Assembleia Legislativa com regime de urgência. O Executivo também solicita urgência no Projeto de Lei Complementar (PLC 76) que trata das normas sobre Segurança, Prevenção e Proteção contra Incêndios (PPCI) nas edificações e áreas de risco de incêndio no estado. Os dois atos, assinados pelo governador José Ivo Sartori, foram enviados nesta sexta-feira (1º) ao Legislativo.


 

FONTE: CBMRS

05/07/2016



 

 

Processo de separação do Corpo de Bombeiros da Brigada Militar vai se estender até o fim do ano

Categoria soma 2,3 mil agentes, enquanto a meta é atingir 4,8 mil

 

 

Encaminhado pelo Palácio Piratini, o projeto da Lei de Organização Básica (LOB) do Corpo de Bombeiros chegou, na tarde desta sexta-feira, à Assembleia Legislativa. Vencia hoje o limite para o governo respeitar o prazo previsto na emenda à Constituição com esse fim, aprovada ainda em 2014 pela Assembleia Legislativa. O texto, que vai tramitar em regime urgência, prevê as diretrizes que vão consolidar a separação dos Bombeiros da Brigada Militar. Apesar disso, todo o processo só deve ser concluído no fim do ano.

Concomitantemente à tramitação do projeto da LOB na Assembleia, um grupo de trabalho vai ter 90 dias para formular mais dois projetos de lei. Um deles versa sobre a transição dos servidores e outro está relacionado à recomposição do número de bombeiros. Atualmente, a categoria soma 2,3 mil agentes, enquanto a meta é atingir 4,8 mil.

Para chegar ao objetivo, os bombeiros vão propor a recomposição do efetivo em 10% ao ano até que se atinja o mínimo necessário para colocar quatro soldados por carro de combate a incêndio.

Segundo o chefe da Casa Civil, Márcio Biolchi, um trabalho junto aos deputados vai ser feito após o recesso parlamentar para acelerar a aprovação do projeto de separação das categorias. “Terminando o prazo de 90 dias, esperamos que a construção política permita tramitação ágil. Se tudo correr bem, os projetos serão aprovados antes do final do ano”, disse.

Conforme o presidente da Associação de Bombeiros do Rio Grande do Sul, Ubirajara Ramos, a demanda é antiga e vai proporcionar o desenvolvimento da corporação. Com a desvinculação, o Corpo de Bombeiros vai ter CNPJ próprio, o que permite o estabelecimento de convênios e orçamento próprio.

“Com a aprovação do CNPJ, recursos serão obtidos diretamente para a corporação, muitas vezes através da Secretaria Nacional da Segurança Pública. Esses recursos chegam hoje através da Brigada Militar, que obviamente tem foco no policiamento. Com a independência, teremos submissão de projetos próprios”, destac0u.

A separação da Brigada Militar não prevê elevação de custos para o governo. Atualmente, são destinados R$ 4 milhões ao ano para investimento e R$ 22 milhões/ano para custeio. Por outro lado, também não existe previsão de elevação de salários – um soldado em início de carreira ganha R$ 2,3 mil – mas a corporação vai ter liberdade para modificar o plano de carreira.

Fonte: RADIO GUAIBA

01/07/2016

 



 

 

Incêndio atinge casa da diretora do presídio de Júlio de Castilhos

Polícia suspeita que fogo tenha sido criminoso 

 VÍDEO: incêndio atinge casa da diretora do presídio de Júlio de Castilhos Luis Roberto da Silva Dutra / Galeranet/Galeranet

Um incêndio destruiu o carro e parte da casa da diretora do Presídio Estadual de Júlio de Castilhos, Mara Nunes Rosa, na madrugada desta terça-feira. 

Conforme a delegada Alessandra Padula, a suspeita é de que o fogo tenha origem criminosa, já que as chamas atingiram, primeiro, o carro da diretora, que estava estacionado na garagem. A residência fica no bairro Independência.

– Ela teria ouvido um barulho. Quando saiu para ver o que estava acontecendo, teria visto o carro pegando fogo – relata a delegada.



O incêndio aconteceu por volta das 2h e foi controlado pelo caminhão pipa da prefeitura, já que o município não tem Corpo de Bombeiros. A diretora e a família não se feriram. 

– Só a perícia nos dará certeza. O fogo ter começado do lado de fora aliado ao fato dela ter essa ocupação (diretora do presídio) reforçam a hipótese de incêndio criminoso, mas não está confirmada – esclarece Alessandra.  

A expectativa é de que uma equipe do Instituto Geral de Perícias (IGP) de Santa Maria fosse até o local ainda na manhã desta terça-feira. O caso foi registrado na delegacia de polícia também nesta manhã. 

– Vamos tentar identificar algumas testemunhas, o que vai ser difícil pelo horário do incêndio. Também vamos averiguar se existem imagens de câmeras de segurança próximas ao local. Mais informações, vamos coletar com ela, para saber de alguma desavença com um preso ou familiar de preso – adianta a delegada. 

 

FONTE: Diário Santa Maria

28/06/2016



 

 

Incêndio destrói casa no bairro Pio X, em Caxias do Sul / RS

Um casal com três crianças morava na casa. Ninguém se feriu

 

 

Incêndio destrói casa no bairro Pio X, em Caxias do Sul Roni Rigon/Agencia RBS

Um incêndio com causas ainda desconhecidas destruiu uma casa na Rua Mariana Prezzi, bairro Pio X, em Caxias do Sul, no início da noite desta terça-feira. Os bombeiros foram chamados por volta de 18h30min e precisaram de duas viaturas para combater o fogo, mas as chamas já haviam consumido a pequena residência, que fica nos fundos de outra casa. Um casal morava na casa com três filhos, de 6, 3 e 1 ano, mas ninguém se feriu.

De acordo com a moradora da casa, Amanda Gisele Machado, 25 anos, ela conversava com a vizinha da casa da frente no pátio entre as duas casas e, ao retornar à moradia, viu o fogo no teto do quarto. Ao voltar à sala, as chamas já tinham se espalhado e precisou correr com as crianças para fora.

_ Era uma casa velha, que a gente estava morando desde fevereiro. Não sei o motivo, mas havia muitos fios soltos, pode ter sido um curto-circuito _ afirma Amanda. 

O marido de Amanda, que faz curso técnico de enfermagem, não estava em casa no momento do ocorrido. A família irá precisar de doações para reconstruir a vida. Interessados em ajudar podem fazer contato pelo telefone (54) 9192.6879.

 


 

Incêndio atinge casas e estabelecimento comercial

em Caxias do Sul / RS.

O Corpo de Bombeiros atendeu a dois incêndios em Caxias do Sul entre noite de domingo e a madrugada desta segunda-feira. Não houve feridos em nenhum dos casos.

Por volta das 20h30min, uma casa na Rua Tucano, bairro Cruzeiro, foi totalmente destruída pelo fogo. Outro chamado foi atendido por volta das 4h30min da madrugada desta segunda-feira, na Rua Antônio Bossi, no bairro Fátima. Neste caso, foi uma residência que tinha um comércio anexo. Não se sabe o que teria ocasionado as chamas. 

FONTE: CLICRBS

27/06/2016



Espera pela primeira análise de PPCI diminui quase três meses em Caxias do Sul / RS.

Força-tarefa analisou 415 planos e outros 81 simplificados

 

Em duas semanas da força-tarefa para diminuir a espera pela primeira analise dos Planos de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI) e planos simplificados, foram analisados quase 500 planos. A operação chamada de Contagem Regressiva encerrou no final da tarde desta sexta-feira em Caxias do Sul.Inicialmente, o trabalho seria realizado, além de Caxias, em Bento Gonçalves e Farroupilha. Porém, como apenas 10, dos 12 servidores previstos, foram cedidos à Serra, o mutirão de análises só pode ser realizado em Caxias.

De acordo com o chefe da seção de Prevenção de Incêndios de Caxias, capitão Lúcio Junes Lemes da Silva, foram analisados 415 PPCIs. Desses, apenas 68 foram aprovados e aguardam vistoria. Os outros 347 precisarão ser corrigidos.Com relação aos planos simplificados, foram analisados 81, sendo que 55 foram aprovados.Ainda segundo o chefe da seção de prevenção, a demanda na Serra é pela primeira vistoria. Com o trabalhos da força-tarefa, o tempo de espera para a primeira análise em Caxias caiu de 208 dias para 122 dias. A operação também aconteceu em Porto Alegre.

Servidores

A força-tarefa recebeu 10 servidores especialistas em análise de planos de outras regiões do Estado. Em Caxias, a Seção de Prevenção conta com sete bombeiros que trabalham apenas com análise de alvarás.

FONTE: Pioneiro – clicrbs

06/06/2016

 



 

   Incêndio destrói bar na Região Leste de Santa Maria / RS.

 

 

Bombeiros apontam perda de 80% no Pinus Bar. Proprietários estimam prejuízo de R$ 100 mil

 

                             

 

  

Um incêndio destruiu um bar na Região Leste de Santa Maria na madrugada deste sábado (4). O Corpo de Bombeiros aponta que o fogo consumiu 80% da estrutura do Pinus Bar, que fica na Rua Vereador Erli de Almeida Lima, bairro Camobi. Os proprietários estimam um prejuízo de R$ 100 mil.

De acordo com uma das proprietárias, Cláudia Silva, o bar fechou por volta das 2h. Um amigo acionou os bombeiros por volta das 3h30 depois que percebeu o incêndio. Doze bombeiros com dois caminhões de combate a incêndio controlaram as chamas por volta das 6h45. Ninguém se feriu.

O Corpo de Bombeiros aponta que a causa do incêndio não foi apurada. Os proprietários contaram à reportagem que é improvável que tenha havido algum problema elétrico, pois a rede era nova. Além disso, os fogões são a gás. A lareira havia sido apagada quando o estabelecimento foi fechado. O local está devidamente regularizado.

Daniel Camillo, um dos sócios, afirma que “agora o jeito é recomeçar”. Já são 14 anos de trabalho. O Pinus vai continuar aberto, só que a partir do Centro Comercial Camobi (Rua Reinaldo Manoel Guidolin, bairro Camobi).

“Futuramente, vamos reabrir o bar em novo local, na Faixa Nova”, diz.

Cláudia conta que o local será limpo durante este fim de semana.

FONTE:  Gaucha/ClicRbs

04/06/2016 
 




Incêndio destrói residência e deixa vítima na Zona Norte de Porto Alegre / RS

 

Até o início da madrugada de sexta, vítima não havia sido identificada. Conforme os bombeiros, as chamas destruíram completamente o local.

 

Um incêndio destruiu uma casa e provocou a morte de um homem, na noite desta quinta-feira (2) na Zona Norte de Porto Alegre. A vítima, que até o início da madrugada de sexta (3) não havia sido identificada, estava sozinha na residência, localizada no Bairro Rubem Berta. Conforme os bombeiros, as chamas destruíram completamente o local.

O motivo para o início do incêndio ainda é desconhecido. O combate às chamas ocorreu entre 22h30 e 23h. O imóvel está localizado na Rua Ricardo Belizario da Silva.

FONTE: G1- GLOBO

03/06/2016

 





 

Homem é suspeito de colocar fogo em casa com a família dentro em Santa Maria / RS

 

Companheira grávida e três filhos do casal estavam na residência

 

Um homem é suspeito de atear fogo em casa com a sua companheira grávida e mais três filhos dentro. O crime ocorreu no Beco da Tela, na Rua João Brunhalzer, Vila Schirmer, bairro João Goulart, região nordeste de Santa Maria. 


Conforme a Brigada Militar (BM), uma guarnição foi acionada por volta das 22h20min e, quando chegou ao local, as vítimas já tinham conseguido sair da residência. Ninguém se feriu.

O suspeito foi questionado pelos policiais quanto ao motivo do incêndio na casa com sua família dentro, mas ele não respondeu.

A BM aponta que o homem não foi levado para a Delegacia de Polícia de Pronto-Atendimento (DPPA). Não há informação quanto a alguma medida restritiva contra o homem em relação à família.

Interditado, Theatro São Pedro passará por vistoria

de Bombeiros na sexta-feira!

 

Sessão do espetáculo “Guri de Uruguaiana”, prevista para as 21h, foi cancelada. Administração do teatro garante esforços para satisfazer às exigências de segurança feitas pelo Corpo de Bombeiros

 

 Interditado, Theatro São Pedro passará por vistoria na sexta-feira Ricardo Duarte/Agencia RBS

   Interditado pelo Corpo de Bombeiros nessa quarta-feira  (6/4), o Theatro São Pedro (TSP) não abrirá nesta quinta e passará por nova vistoria na sexta-feira.

 

Embora o presidente da Associação Amigos do TSP, Roberto Moraes, tenha pressionado por uma nova avaliação do Corpo de Bombeiros na tarde desta quarta, a situação do teatro, cujos equipamentos de segurança não funcionavam adequadamente, não foi regularizada.  

Mesmo com engenheiros e a equipe de manutenção do teatro trabalhando em ritmo emergencial para cumprir as exigências dos bombeiros e, assim, receber as atrações agendadas para esta semana, a sessão do show Guri de Uruguaiana, do comediante Jair Kobe, foi cancelada. A estreia de uma nova temporada de apresentações do Guri, agendada para a quarta-feira, também foi cancelada às pressas. 

Segundo o Corpo de Bombeiros, para que a casa volte a funcionar é preciso que equipamentos de segurança já instalados no local voltem a funcionar adequadamente, como iluminação de emergência, sistema hidráulico contra incêndio e extintores. Além disso, correções no Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndios (PPCI) terão de ser apresentadas para que o documento seja finalmente aprovado – o texto deverá prever modificações de segurança no prédio a serem realizadas futuramente, como instalação de uma porta corta-fogo entre o Theatro e complexo Multipalco, entre outras.

A nova vistoria ficou marcada para esta sexta-feira pela manhã, de acordo com comunicado da assessoria do Theatro São Pedro. Na nota, a organização garante que todos os esforços estão sendo feitos no sentido de atender as readequações do PPCI para reabrir o teatro e que os ingressos estão sendo ressarcidos na bilheteria.

Fonte: CLICRBS (07/04/2016)





Bombeiros aguardam correções de laudos do

Theatro São Pedro para nova vistoria

Nova inspeção pode ocorrer ainda nesta quinta

 

Theatro São Pedro segue interditado nesta quinta-feira | Foto: Mauro Schaefer

 

      O Corpo de Bombeiros de Porto Alegre ainda aguarda uma correção de parte dos laudos apresentados pelo setor de engenharia do Theatro São Pedro para poder realizar uma nova inspeção no local. Foi o que informou na manhã desta quinta-feira o comandante da corporação na Capital, Major Jeferson Ecco.

     Segundo o comandante, o local foi interditado principalmente pela presença de extintores vencidos e pela falta de iluminações indicativas para saída de emergência, além de outros itens. Porém, como os laudos apresentados pelo complexo precisavam ser corrigidos novamente, os Bombeiros devolveram o material para o setor de engenharia do teatro e, somente após um retorno da correção à corporação, poderá ser feita uma nova inspeção.

    O fechamento do prédio histórico – que também vale para o Multipalco – decorre, ainda, da falta de atualização do Plano de Prevenção contra Incêndio (PPCI). A administração do espaço cultural informou que foram realizadas adequações e que espera mais uma inspeção, prevista para esta quinta, mas ainda sem horário agendado.

 Na noite dessa quarta-feira, um espetáculo acabou sendo cancelado. Porém, os espectadores só podem pedir o ressarcimento dos valores a partir da liberação do teatro.

 

FONTE: CORREIO DO POVO (07/04/2016)

 




  

 Espera por alvará do Corpo de Bombeiros chega a 9 meses no RS

 

O tempo é referente ao prazo para Porto Alegre e Caxias do Sul.

Empresários reclamam da falta de informação e burocracia para PPCI.

 

      Nas maiores cidades do Rio Grande do Sul a espera pela obtenção do Plano de Prevenção Contra Incêndio (PPCI) tem chegado a nove meses. O item é obrigatório para prédios comerciais, indústrias e edifícios com mais de um pavimento. O comando da corporação diz que falta efetivo para dar conta do volume de trabalho.
 
 
Espera aumento por conta do endurecimento da legislação (Foto: RBS TV/ Reprodução)
 

     Hoje, segundo o comando do Corpo de Bombeiros, cada homem trabalha por dois. A defasagem é de 50% do efetivo. Junto a isso, o deslocamento de homens para a Operação Golfinho, nas praias durante o verão, e uma legislação mais rigorosa resultaram no acúmulo de processos em cidades como Caxias do Sul e Porto Alegre, onde a espera pelo PPCI é de 9 meses.

    “Aumentaram esses prazos devido a Operação Golfinho, onde uma boa quantidade de efetivo trabalha na área de salvamento aquático e desguarnece as áreas de prevenção e combate a incêndio no resto do estado”, afirma o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, tenente coronel Adriano Krukoski.

    Uma medida que pode reduzir a espeta é a implantação de planos simplificados para prédios menores, que poderão ser feitos pela internet. No entanto, os proprietários de imóveis reclamam que não são especificados os problemas, nem os ajustes a serem realizados.  É o caso de um galpão de fábrica, que opera com alvará provisório há três anos.

    “Eu, pessoalmente, já estive de quatro a cinco vezes nos Bombeiros, já fui sozinho, fui acompanhado por engenheiros. Você vai lá , o agendamento leva de duas a três horas para ser atendido, e normalmente você sai com mais duvidas do que certezas”, afirma o proprietário da edificação Claus Lagemann.

 

FONTE: G1.GLOBO.COM

Texto de exemplo

Este é um texto de exemplo dentro de sua coluna recém criada.

 

Viaduto em construção desaba e mata 15 pessoas na Índia

Pelo menos 100 pessoas ficaram feridas com queda de blocos de cimento e metal em Calcutá

 

Pelo menos 100 pessoas ficaram feridas com queda de blocos de cimento e metal em Calcutá | Foto: Dibyangshu Sarkar / AFP / CP

Integrantes das equipes de emergência lutavam nesta quinta-feira para resgatar dezenas de pessoas que seguiam presas

entre os escombros após o desabamento de um viaduto em Calcutá, que deixou ao menos 15 mortos e mais de 100 feridos.

 

    “Quinze pessoas morreram. Mais de 100 foram resgatadas e estão no hospital”, disse Anil Shejawat, porta-voz da Unidade de Gestão de Desastres. As autoridades temem que o número de mortos seja ainda maior, já que não se sabe quantas pessoas continuam sob os escombros. As equipes de resgate trabalhavam no local com ferramentas, detectores de vida e cães treinados.

    A princípio, as pessoas começaram a retirar os escombros com as mãos, enquanto o exército chegava ao local para coordenar o resgate. Depois, os moradores seguiam trabalhando junto às equipes de socorro, utilizando paus de bambu, com o objetivo de encontrar sobreviventes. Os parentes das pessoas desaparecidas também se dirigiram em desespero ao local. “Tudo acabou”, gritava Parbati Mondal, cujo marido, um vendedor de frutas, está desaparecido.

    Os funcionários estavam trabalhando quando um trecho de 100 metros do viaduto desabou sobre uma rua lotada de pedestres e veículos. No local havia uma grua erguendo um carro dos escombros e era possível observar um ônibus que havia sido atingido pelo desabamento, mas não estava claro se transportava passageiros.

    Um trabalhador da obra que ficou ferido disse que durante a manhã os parafusos da estrutura começaram a se afrouxar.

“Estávamos pegando duas vigas de aço para os pilares, mas as vigas não suportaram o peso do cimento”, disse Milan Sheij, de 30 anos, que depois foi levado ao hospital para ser atendido. A construção do viaduto de dois quilômetros de comprimento começou em 2009 e deveria ter terminado em 18 meses, mas sofreu uma série de atrasos.

    Os acidentes durante as construções são frequentes na Índia, onde as leis de segurança trabalhista são frágeis e muitas vezes são utilizados materiais de má qualidade. Muitos moradores da zona abandonaram o lugar por medo de que o resto da estrutura desabasse. “Pensamos que era um terremoto”Uma testemunha disse que ouviu um forte ruído e que “parecia que uma bomba tinha explodido no local e havia fumaça e poeira”. “Ouvimos um estrondo enorme e nossa casa sofreu um forte abalo. Pensamos que era um terremoto”, disse Sunita Agarwal, moradora da região de 45 anos. “Fomos embora. Não sabemos o que vai acontecer”, contou.

   Mamata Banerjee, a autoridade regional de Bengala Ocidental, disse que os responsáveis pela tragédia não sairão impunes. P Rao, representante da empresa de construção indiana IVRCL, que recebeu a concessão, descreveu o desastre como “um ato de Deus”.

    A empresa recebeu em 2009 um prazo de 18 meses para terminá-la, com um orçamento de 25 milhões de dólares, mas sete anos depois 55% da obra ainda não foi finalizada. O desastre ocorre poucos dias antes do início da final do Mundial de Críquete T20, que atrairá milhares de fãs no domingo à cidade.

 

 

Fonte: Correio do povo

31/03/2016
 
 


 

 

Novo sistema para encaminhar PPCI começa a valer hoje

 

Cadastramento de dados poderá ser feito pela internet com objetivo de agilizar processo

 

 

A partir desta segunda-feira (28), os Bombeiros colocam em prática um conjunto de ações para desburocratizar os processos para obtenção dos alvarás de planos de prevenção e proteção contra incêndio (PPCI). Entre as novidades, está a possibilidade de encaminhamento do plano pela internet. De acordo com o tenente-Coronel Cleber Valinodo, chefe do 5º Comando Regional dos Bombeiros, a fila atual tem 680 projetos em Caxias do Sul. A média de espera para liberação chega a 200 dias. É a cidade onde o processo é mais demorado depois da Capital.

Os novos trâmites que entram em vigor nesta segunda buscam agilizar o encaminhamento das demandas.”Antes a pessoa levava o projeto diretamente nos Bombeiros. Agora tem mais uma alternativa para o cadastramento online, para repassar todos os dados para os planos simplificados”, explica o comandante regional. O novo processo vale para imóveis com menos de 750 metros quadrados, caso de um escritório, sala comercial e planos mais simples.

As mudanças foram discutidas pelo 12 comandos regionais em um simpósio realizado nesta semana em Bento Gonçalves. Foram debatidas também medidas internas que possibilitem o melhor aproveitamento do trabalho em função do efetivo defasado dos Bombeiros. No final do mês passado, três quartéis de Caxias do Sul foram fechados por alguns dias em função da falta de pessoal e cortes de horas extras. Na próxima segunda-feira, serão remanejados servidores de Caxias do Sul para Farroupilha para evitar que ele o quartel da cidade fosse fechado, já que a quantidade de horas extras repassadas para o comando não foi suficiente.

A Brigada Militar vai convocar mais de 200 aprovados em concurso na segunda. Serão 39 para os Bombeiros. O comando da Serra ainda não foi informado se receberá parte deste efetivo. Porém, como esta nova leva de nomeados ainda precisará passar por treinamentos, a previsão é de que só comecem a trabalhar no fim do ano. Enquanto isso, a corporação segue enfrentando, todos os meses, as mesmas dificuldades para manter as operações. O quartel da Zona Norte também está com viaturas a menos. O caminhão e uma viatura envolvidos em acidente durante atendimento a uma ocorrência no final de janeiro, seguem aguardando a conclusão de inquéritos técnicos para depois providenciar o conserto.

 

FONTE: Conexão Bombeiro

28/03/2016

 


 CBMRS realiza simpósio em Bento Gonçalves/RS

 


 

 

Está sendo realizado no período de  21 a 23 de março de 2016 o Simpósio de Integração e Padronização em Segurança Contra Incêndio, no Dall’Onder Grande Hotel,  em Bento Gonçalves/RS.

O evento, organizado pela Divisão Técnica de Prevenção de Incêndio e Investigação (DTPI) do CBMRS, faz parte de um conjunto de ações da Corporação visando a desburocratização dos processos para obtenção dos Alvarás de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (APPCI), bem como o aprimoramento técnico do efetivo  responsável pelas análises dos Planos de Prevenção Contra Incêndios (PPCI) e vistorias de edificações, buscando a excelência nos serviços prestados à sociedade gaúcha.

Participam do simpósio 389 bombeiros militares atuantes nas Seções de Prevenção de Incêndio e Assessorias de Atividades Técnicas de todo o Estado.

No evento, estão sendo abordados os seguintes temas: apresentação das novas Resoluções Técnicas de Procedimentos Administrativos para Planos de Prevenção e Proteção Contra Incêndio em sua forma completa (PPCI) e Planos Simplificados de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PSPCI); apresentação do Módulo de Segurança Contra Incêndio do Sistema Integrado do SISBOM para PSPCI; dinâmicas de integração e valorização profissional, além da realização de oficinas para padronização da análise de planos e vistoria de edificações e exposição de produtos inovadores em segurança contra incêndio, entre outros.

Prestigiam o evento, o tenente coronel Adriano Krukoski Ferreira, Comandante do Comando do Corpo de Bombeiros do Estado, Comandantes dos Comandos Regionais de Bombeiros, além de representantes de várias entidades que interagem com o CBMRS.

 

Fonte: CBMRS

24/03/2016

 

Duas crianças morrem em um incêndio em Canoas

Vítimas eram irmãos de um e três anos. Fogo foi registado em uma casa do bairro Mathias Velho

 
Duas crianças morrem em um incêndio em Canoas Eduardo Cardozo/Agencia RBS

Duas crianças morreram na manhã desta quinta-feira em um incêndio que atingiu uma casa no bairro Mathias Velho, em Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre. As chamas começaram por volta das 8h20min na Rua Martin Luther King. 

 A perícia foi sendo realizada no local. A polícia ainda não confirma as causas que deram início às chamas. As vítimas foram identificadas como os irmãos Paulo Henrique Pereira, um ano, e Braian Marcelo, três anos. 

A mãe das crianças estava na casa e se feriu tentando salvá-las, segundo a Polícia Civil. A mulher foi levada ao Hospital de Pronto Socorro de Canoas. 

 FONTE:http://zh.clicrbs.com.br/
 24/03/2016 

Corpo de Bombeiros de Cachoeirinha ganha veículo e equipamentos!


 
 
Corpo de Bombeiros de Cachoeirinha ganha veículo e equipamentos

 

Caminhonete, motosserras e EPIs foram adquiridos pelo município com recursos do FUNREBOM.

 

O vice-prefeito Gilso Nunes e o secretário municipal de Segurança João Paulo Martins entregaram, na tarde desta quinta-feira, 17, um veículo Ford Ranger XL ao comandante do Corpo de Bombeiros de Cachoeirinha tenente André Cunha. Com recursos do Fundo de Reaparelhamento dos Bombeiros (Funrebom), a Prefeitura também adquiriu 8 motosserras, uma motopoda e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), totalizando mais de R$ 135 mil repassados à instituição.

O representante do 8º Comando Regional de Bombeiros, major Humberto Medeiros, explica que a verba do Funrebom é oriunda de taxas e inspeções realizadas pelos Bombeiros do município. “A caminhonete será usada, por exemplo, em situações de alagamento, que necessitam uma viatura maior para rebocar barcos, etc”, destaca. O Corpo de Bombeiros de Cachoeirinha possui dois caminhões, uma autoescada (antiga Magirus) e outros veículos de apoio CLoperacional.

Também participaram da entrega o soldado Sérgio Munhoz, do Corpo de Bombeiros de Canoas, o comandante geral da Guarda Municipal de Cachoeirinha Marcos Soldatelli e a diretora da Secretaria Municipal da Saúde Letícia Gomes.

 

FONTE: http://www.cachoeirinha.rs.gov.br/

17/03/2016

 

Setor agropecuário reforça pedido de mudança na Lei Kiss

 

Meta é alterar cobrança de PPCI para edificações no meio rural, como aviários, chiqueiros e estrebarias

Setor agropecuário reforça pedido de mudança na Lei Kiss Cristiano Guerra/Divulgação
Entidades foram ouvidas nesta segunda em reunião na Casa CivilFoto: Cristiano Guerra / Divulgação
Reivindicada pelo setor agropecuário há mais de um ano, alteração na chamada Lei Kiss deverá ser encaminhada pelo governo à Assembleia Legislativa antes do feriadão de Páscoa, na próxima semana. Em reunião na Casa Civil nesta segunda-feira, entidades foram ouvidas para conclusão da redação final do projeto de lei – elaborado em conjunto com o Conselho Estadual de Segurança, Prevenção e Proteção Contra Incêndio. – Reforçamos que edificações no meio rural, como aviários, chiqueiros e estrebarias, devem ter um tratamento diferenciado pela legislação. Esses locais não têm aglomeração de pessoas, onde um eventual risco é baixíssimo – reiterou Rogério Kerber, presidente do Fundo de Desenvolvimento e Defesa Sanitária Animal (Fundesa). Pela Lei nº 14.376, aprovada em 2013 após tragédia ocorrida em Santa Maria, passou a ser exigido Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI) também de empreendimentos agropecuários no meio rural. – Estamos buscando um aperfeiçoamento adequado à realidade – salientou o deputado Frederico Antunes (PP), que durante a Expodireto-Cotrijal presidiu audiência pública sobre o tema.  

FONTE:http://zh.clicrbs.com.br/

 

Quartel fecha por falta de bombeiros e recursos no Mathias Velho em Canoas.

 
Corpo de Bombeiros do bairro Mathias Velho. Foto: PMC  
O bairro Mathias Velho em Canoas ganhou na última segunda-feira, 14, mais um motivo para preocupação. O quartel co Corpo de Bombeiros que ficava localizado no bairro fechou. A justificativa é que estão faltando servidores e recursos para manter ambos quartéis em funcionamento. Mas este não é um privilégio de Canoas. Em todo o estado as unidades são fechadas, em uma espécie de rodízio, com a mesma justificativa.O registro é que ao menos oito corporações fecharam e depois foram reabertas. Isto gerou o deslocamento dos policiais inclusive para outras cidades. No município de Canoas, o Corpo de Bombeiros da avenida Santos Ferreira recebeu os poucos brigadianos do Mathias Velho e segue aberto, atendendo Canoas e Nova Santa Rita.   Em números No Rio Grande do Sul, atualmente, são 2.250 bombeiros. Isto é menos da metade do que é estipulado por lei: 4,8 mil. Uma das hipóteses da falta de efetivo é a aposentadoria de mais de 211 servidores em 2015, sem que houvesse uma reposição.  

FONTE:http://otimoneiro.com.br/

Casa noturna é interditada em Canoas por Falta de PPCI

 Uma operação conjunta das secretarias municipais de Desenvolvimento Econômico, Segurança Pública e Cidadania, Meio Ambiente, Transporte e Mobilidade, Diretoria de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal da Saúde, Conselho Tutelar, Brigada Militar e Corpo de Bombeiros, interditou, no sábado (8), uma casa noturna localizada no Centro de Canoas. A interdição deveu-se à ausência de licenças para funcionamento.
Segundo o diretor de Fiscalização da SMDE, Luis Marconi Berni, apesar de o estabelecimento possuir Alvará de Localização, ele não possuía licenças Ambiental, Sanitária e o Alvará do Plano de Prevenção Contra Incêndio (APPCI). “O funcionamento do estabelecimento está autorizado somente para a área fechada, não podendo o mesmo utilizar a área aberta”, afirma Marconi. Ausência de equipamentos de segurança O motivo da interdição deveu-se justamente à utilização da área externa não licenciada e pelo excesso de frequentadores. Somou-se a constatação do Corpo de Bombeiros de que no local não havia equipamentos de segurança, além do APPCI da área externa. Quanto ao tempo de interdição, o diretor de Fiscalização da SMDE informa que vai depender da todas as regularizações exigidas por lei. “Também é importante, nesses casos, que os pais estejam atentos aos lugares que seus filhos frequentam”, alerta Marconi. Interessados em informar sobre irregularidades em casas noturnas e bares, de Canoas, devem ligar para o número 08005101234.  

Fonte: http://www.canoas.rs.gov.br/site/noticia/visualizar/idDep/9/id/117463

Prefeito de Gravataí, Marco Alba, recebe novo comandante do Corpo de Bombeiros da Brigada Militar

O prefeito Marco Alba recebeu na tarde desta sexta-feira (19) o novo comandante do Corpo de Bombeiros da Brigada Militar de Gravataí, capitão Daniel Borges Moreno. No encontro, que também contou com a presença do secretário substituto para Assuntos de Segurança Pública (Smasp), Flávio Lopes, esteve em pauta o trabalho articulado da Prefeitura com a entidade nas ações que primam pelo zelo e segurança da população gravataiense.

O prefeito Marco Alba destacou que a Administração Municipal trabalha de forma engajada e não mede esforços para promover a integração das entidades competentes nas iniciativas que dizem respeito ao bem estar e segurança da sociedade. “Temos por meta o cuidado com as pessoas; e a Prefeitura sempre será parceira nas ações que tenham por objetivo o cumprimento desse princípio. Em nome da Prefeitura desejamos boas-vindas ao novo comandante e parabenizamos pela nobre missão que possuem de zelar pela vida das pessoas”, destacou.

O capitão Moreno agradeceu pelo apoio da Prefeitura e desde já também colocou o Corpo de Bombeiros e a Brigada Militar à disposição para auxiliar nas questões de ordem e segurança da população gravataiense.

FONTE: https://gravatai.atende.net/#!/tipo/noticia/valor/6775

Duas casas foram totalmente queimadas na Bethania

Duas casas foram totalmente queimadas na Bethania
 

UM INCÊNDIO DESTRUIU TOTALMENTE DUAS RESIDÊNCIAS, NO JARDIM BETHÂNIA, NESTA ÚLTIMA MADRUGADA, 22 EM CACHOEIRINHA.

O Corpo de Bombeiros de Cachoeirinha foi acionado para combater as fortes e altas chamas, que acabou consumido às duas casas eram mistas que ficavam no mesmo terreno, na Av. Atlântida.

Conforme as informações preliminares de populares, o incêndio teria sido criminoso, após uma briga. Ninguém ficou ferido.
Fotos: Divulgação
Fotos: Divulgação
A ocorrência contou com o apoio dos Bombeiros de Gravataí.   Fonte: Vale7

 

Fogo é combatido em lixão no Parque da Matriz

Fogo é combatido em lixão no Parque da Matriz

O Corpo de Bombeiros de Cachoeirinha, foi acionado para combater às chamas de um incêndio na esquina das Ruas Pacaembu e Cascavel,no Parque da Matriz, no início desta noite, 17.
De acordo com os bombeiros, o fogo teria sido provocado no lixão e acabou se alastrando rapidamente entre as madeiras, papéis, papelão e entulhos, que ali são depositados irregularmente pelos moradores. As chamas foram rapidamente contidas pelos Bombeiros. Ninguém ficou ferido.   Fonte: Vale7

Cachoeirinha registra dois incêndios neste sábado.

O Corpo de Bombeiros de Cachoeirinha foi acionado para combater às chamas em uma residência na Rua Cairu, na Vila Anair nesta noite, 16. De acordo com os Bombeiros o fogo teria começado, após um curto circuito no quarto da residencia, que foi totalmente destruída pelo fogo. Os proprietários da casa acabaram passando mal, devido ter inalado fumaça do incêndio e foram atendidos pelo Samu, juntamente com um popular que sofreu pequenas escoriações, enquanto ajudava salvar os pertences da família do fogo.

Fotos:Diogo Vaz/ Divulgação
Fotos:Diogo Vaz/ Divulgação

Mais cedo os bombeiros foram chamados para combater, um foco de incêndio em umas sobras de madeiras, que estavam armazenadas no fundo do pátio de uma construção, na Rua Olavo da Silva Pereira, na Morada dos Bosque em Cachoeirinha. De acordo com os populares o local estava vazio e não se sabe as causas do fogo. Em ambas situações o fogo já foi controlado.   Fonte: Vale7

Obras da Amapá em fase de conclusão em Cachoeirinha

  Última etapa é pavimentação e recuperação de calçadas e meio-fio .
  Um dos pontos de alagamentos residuais em Cachoeirinha está próximo do fim: as obras da rua Amapá estão na sua fase final e vão beneficiar a região do entorno e o Condomínio Porto Rico, um dos mais antigos de Cachoeirinha. Conforme o secretário interino de Infraestrutura Amarildo Marchi, a instalação da última caixa da rede de tubulação subterrânea está sendo concluída. “Agora a empresa contratada começou a pavimentação e a previsão é de que em 15 dias tudo esteja terminado”, diz ele. Além da pavimentação, as calçadas e o meio-fio serão recuperados. A obra começou na esquina com a Avenida Flores da Cunha, na ligação com o Conduto Forçado, e seguiu por 220 metros em direção ao bairro.  

FONTE: http://www.cachoeirinha.rs.gov.br/

14/01/2016

Troca de luminária teria causado fogo em Museu da Língua Portuguesa

em SP, segundo funcionário

 

Relato foi feito a equipes da Defesa Civil. Trabalho de rescaldo continua na manhã desta terça-feira.

 Fogo atinge o Museu da Língua Portuguesa na região central de São Paulo (Foto: Roney Domingos/G1)
 

O incêndio que destruiu o Museu da Língua Portuguesa na segunda-feira (21) pode ter sido causado por um curto-circuito iniciado na troca de uma luminária. A informação foi dada por um funcionário do museu a equipes da Defesa Civil, segundo o coordenador do órgão, Milton Persoli. Segundo o relato, a troca foi no segundo andar do museu, mesmo local onde o fogo começou. A possível causa será investigada juntamente com outras pela polícia. Durante a madrugada, técnico do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) já realizaram uma primeira investigação no local. O trabalho de investigação só deverá avançar, porém, com o final do trabalho de rescaldo pelo Corpo de Bombeiros, que ainda continuava na manhã desta terça. Pequenos focos ainda apareciam no interior da edificação. Milton Persoli disse que “uma simples troca de luminária, sem uma prevenção adequada, pode desencadear um processo como esse”, afirma. Todo o prédio foi afetado pelo fogo e pela fumaça e vai ter que ser reconstruído, de acordo com o Corpo de Bombeiros. Após o incêndio ter sido controlado, ainda havia risco de queda de parte do telhado. “Foi uma área bem grande, afetou todos os pavimentos. Praticamente toda a área do museu”, afirmou o comandante do Corpo de Bombeiros, Rogério Bernardes Duarte. Por isso, trens da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) não circulam pela Estação na manhã desta terça. O bombeiro civil Ronaldo Pereira, que trabalhava no museu, morreu durante o incêndio.  

Incêndio no Museu da Língua Portuguesa (Foto: Reprodução)     

Incêndio O fogo começou no primeiro andar por volta de 16h, e rapidamente alcançou os dois andares superiores e o telhado do edifício construído em 1901, que abriga o museu desde a sua inauguração, em 2006. Mais de 60 viaturas e 120 bombeiros foram ao local tentar controlar o fogo. Eles impediram que o telhado levasse as chamas até a Estação da Luz. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse que o Museu da Língua Portuguesa “será reconstruído”. “Esse, que era um dos mais visitados museus, traduz a alma do povo brasileiro, e será reconstruído. Vamos imediatamente tomar todas as providências, unir a iniciativa privada e nossos parceiros para a sua reconstrução”, disse o governador. Sem auto dos bombeiros e alvará O museu estava fechado para o público nesta segunda-feira. O Museu da Língua Portuguesa fica na Praça da Luz e tem três pavimentos e uma área de 4,3 mil m². tinha todos os equipamentos de segurança necessários, mas não tinha o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB), e o alvará de funcionamento, concedido pela Prefeitura. O secretário estadual de Cultura, Marcelo Mattos Araujo, afirmou que o museu tinha todos os equipamentos de segurança necessários, mas que não tinha alvará. “A questão do alvará é complexa porque o museu está em um prédio histórico e compartilhado com a Estação da Luz. O alvará é único para esse grupo, estação e museu. Na parte do museu não existe alvará, mas existem projetos que foram apresentados para os Bombeiros e foram implantados”, explica o secretário. O comandante dos Bombeiros, Rogério Bernardes Duarte, disse ao G1 que o prédio estava em processo de regularização junto ao Corpo de Bombeiros. “É um projeto que está em análise e, a partir do momento da aprovação, é feita a vistoria. Isso significa que desde que tenha o alvará de funcionamento da Prefeitura ele pode funcionar. Acredito que essa parte estava regularizada, mas eu não sei dizer, precisa ver com a Prefeitura.” Em nota, a Prefeitura de São Paulo afirmou que o museu ainda não tinha o alvará emitido. Dez anos de museu    O prédio onde fica o museu foi inaugurado em 1901. Já o Museu da Língua Portuguesa foi inaugurado oficialmente no dia 20 de março de 2006 e abriu suas portas ao público no dia 21 de março daquele ano. Em seus três primeiros anos de funcionamento mais de 1,6 milhão de pessoas já visitaram o espaço, consolidando-o como um dos museus mais visitados do Brasil e da América do Sul. O Museu da Língua Portuguesa foi desenvolvido e implantado pela Fundação Roberto Marinho por meio de um convenio com o governo do estado de São Paulo. O museu é dedicado à valorização e difusão da língua portuguesa. “Isso que aconteceu é de uma tristeza muito grande. São dez anos de um prédio tão bonito, um patrimônio brasileiro que foi restaurado e revitalizado. Dez anos encantando. Então a gente não consegue entender o que pode ter acontecido”, lamentou Hugo Barreto, secretário-geral da Fundação Roberto Marinho. Isa Ferraz, curadora do Museu da Língua Portuguesa, diz que o incêndio é “uma tragédia”.  “O museu é fruto de um trabalho de muitos anos de uma equipe multidisciplinar para criar algo completamente novo. O museu mudou paradigmas e virou referência internacional. Foi revolucionário não só pela tecnologia e formato mas pela maneira de encarar a língua portuguesa. Temos todos os arquivos de todo o conteúdo.” A curadora disse que o museu em uma linha do tempo de 33 metros que reconstitui todo o caminho da língua portuguesa, africana e ameríndia até se encontrar no Brasil. “Tudo isso pode ser recuperado. vai ter de remontar os filmes. Temos muita coisa em back up.” Em nota, a Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo lamentou o falecimento do bombeiro civil Ronaldo Pereira durante o combate ao incêndio ao Museu da Língua Portuguesa. “A destruição parcial do prédio é uma grande perda, mas nunca comparável à vida humana, essa sim, insubstituível. Nos solidarizamos com seus familiares.” A Secretaria esclareceu que “todo o acervo do museu era virtual, por isso, sua recuperação plena será possível após a reconstrução do edifício, medida já anunciada pelo governador Geraldo Alckmin e que será priorizada pela gestão estadual em conjunto com diversas entidades historicamente parceiras e apoiadoras da instituição.”  

Fonte: g1.globo.com

22/12/2015

 

Incêndio atinge Museu da Língua Portuguesa na região central de

São Paulo

Bombeiros enviaram 17 viaturas para o local. As chamas tomaram conta dos três andares e da cobertura.

  Um incêndio de grandes proporções atinge o Museu da Língua Portuguesa, na região central de São Paulo, na tarde desta segunda-feira (21), segundo informações do Corpo de Bombeiros. De acordo com a corporação, 17 viaturas e 80 bombeiros foram enviadas ao local. Os bombeiros disseram que por volta de 17h15 o incêndio foi controlado. SP incêndio Museu da Língua Portuguesa (Foto: Luciana Rossetto/G1)   O fogo tomou conta de boa parte do museu. As chamas eram muito altas. A Estação da Luz do Metrô está fechada ‘até o momento’. Marcos Palumbo, coronel do Corpo de Bombeiros, disse que o incêndio começou no primeiro andar e passou para os andares superiores. “As chamas se propagaram de forma muito rápida. Tivemos a notícia que o incêndio começou e se propagou rapidamente até pela estrutura de madeira, material plástico e borracha que compõem o museu. Isso faz com que o fogo se propague rapidamente”, disse Palumbo à GloboNews. Não há informações sobre as causas de incêndio e se há vítimas. O museu está fechado para o público nesta segunda-feira. O Museu da Língua Portuguesa fica na Praça da Luz e tem três pavimentos.

Museu da Língua Portuguesa (Foto: Reprodução)             Incêndio no Museu da Língua Portuguesa (Foto: Reprodução)  

 

Inaugurado oficialmente no dia 20 de março, o Museu da Língua Portuguesa abriu suas portas ao público no dia 21 de março de 2006. Em seus três primeiros anos de funcionamento mais de 1,6 milhão de pessoas já visitaram o espaço, consolidando-o como um dos museus mais visitados do Brasil e da América do Sul. Isa Ferraz, curadora do Museu da Língua Portuguesa, diz que o incêndio é “uma tragédia”.  “O museu é fruto de um trabalho de muitos anos de uma equipe multidisciplinar para criar algo completamente novo. O museu mudou paradigmas e virou referência internacional. Foi revolucionário não só pela tecnologia e formato mas pela maneira de encarar a língua portuguesa. Temos todos os arquivos de todo o conteúdo.” A curadora disse que o museu em uma linha do tempo de 33 metros que reconstitui todo o caminho da língua portuguesa, africana e ameríndia até se encontrar no Brasil. “Tudo isso pode ser recuperado. vai ter de remontar os filmes. Temos muita coisa em back up.” 

 

 

Fonte: g1.globo.com

21/12/2015

 

Entenda como problemas com o PPCI podem cancelar shows

Entrega de documentação fora do prazo pode gerar interdição por parte do Corpo de Bombeiros

  Um dos grandes shows do ano em Porto Alegre, a apresentação do Queen + Adam Lambert quase não aconteceu. E não foi por que o atual vocalista, o cantor Adam Lambert, não estava a altura de substituir o ícone Freddy Mercury: quem não estava a altura era o Plano de Prevenção Contra Incêndio (PPCI), que até quase o início da abertura dos portões não havia sido aprovado pelo Corpo de Bombeiros . Felizmente, tudo deu certo – com a performance do jovem frontman e com o PPCI. Documento obrigatório para qualquer instalação comercial, industrial e edifícios residenciais, o PPCI passou a ser exigido também para eventos temporários. Desde 2004, shows, feiras, circos e afins também precisam elaborar um PPCI (que varia de acordo com a proposta do evento) e encaminhar para avaliação do Corpo de Bombeiros com até dez dias de antecedência da abertura – é aí que mora o problema. Segundo o Major Jeferson Ecco, comandante do 1º Comando Regional do Corpo de Bombeiros, pedidos de avaliação para PPCIs de eventos temporários são tratados como prioridade – desde que protocolados dentro do prazo. Se o pedido é feito fora do prazo, no entanto, a interdição do evento é automática. – Se o evento não apresentar o PPCI em até cinco dias antes, cabe interdição – explica Ecco. – Daí o que acontece: a legislação te dá um tempo para arrumar o que está errado, que é de até 24 horas antes do início do evento. Mas, na prática, a gente leva até o último minuto – explica. Ecco ressalta que o PPCI do evento é diferente do PPCI do local onde ele será realizado: – No caso de um Gigantinho, por exemplo, ele está todo preparado para receber público. Só que no momento em que o camarada vai fazer um show, ele vai botar palco e outras estruturas que vão limitar as saídas, por exemplo, ele precisa fazer o PPCI para aquele evento específico. Ecco aponta que problemas com iluminação e saídas de emergência são os itens que mais costumam ser reprovados em eventos temporários onde há reunião de público – caso de shows em lugares que não foram construídos para esta finalidade, como ginásios e estádios. Mesmo assim, as interdições definitivas são raras. – Empresas que fazem esse tipo de evento sabem o que tem que fazer, mas às vezes pecam no conhecimento técnico do responsável em prever tudo o que precisa ser previsto e cumprir os prazos. Por isso, sempre tem um bombeiro 24 horas de plantão para resolver esse tipo de problema.  

Mãe morre e filho fica ferido após incêndio em residência em

Viamão / RS.

 

Vítima foi identificada como Iraclides Santos brito, de 80 anos

 

Uma idosa de 80 anos morreu vítima de um incêndio em uma residência na madrugada desta sexta-feira no bairro Santa Cecília, em Viamão, na Região Metropolitana. O fogo começou por volta das 2h45 e se espalhou pela casa. A vítima fatal foi identificada como Iraclides Santos brito, de 80 anos. Um dos filhos dela, Melquiades Santos Brito, de 48 anos, foi encaminhado com queimaduras graves para o Hospital de Caridade de Viamão. A unidade hospitalar não forneceu informações sobre o estado de saúde da vítima. De acordo com o Corpo de Bombeiros, as causas do incêndio ainda são desconhecidas.  

FONTE:http://www.radioguaiba.com.br/

18/12/2015

PPCI da Expointer: SENGE entrega denúncia ao Ministério Público

  O presidente do SENGE, Alexandre Wollmann entregou na tarde desta quinta-feira ao procurador geral do Ministério Público Marcelo Lemos Dornelles, denúncia elaborada por profissionais ligados ao SENGE e pelo corpo jurídico do Sindicato, relativo a irregularidades técnicas e administrativas constantes no Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI) do Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio/RS. IMG_7053

Em complemento às denúncias de irregularidades encaminhadas pelo SENGE e CREA-RS em agosto deste ano, o novo relatório aprofunda a análise do processo de contratação das empresas envolvidas na elaboração do PPCI com “dispensa eletrônica de licitação, nos moldes de Pregão”. A partir de documentos disponibilizados pelo próprio governo do estado baseado na Lei de Transparência, foi possível ao SENGE compor a denúncia, que questiona a emergencialidade na contratação, os valores pagos, o prazo exíguo de elaboração, a qualidade do Plano e as condições   cadastrais das empresas envolvidas a época do contrato. Atento ao problema, o Procurador Geral do MP-RS garantiu o encaminhamento inicial da denúncia. Agradecendo a receptividade e reiterando o protagonismo do Sindicato dos Engenheiros no tema, o presidente Alexandre Wollmann afirmou o compromisso do SENGE para com o interesse público, ressaltando que a segurança dos milhares de visitantes do parque não pode ser negligenciada. Da mesma forma, salientou que o mesmo precisa ocorrer com as contratações públicas. O SENGE esteve representado também pelo diretor de negociações Diego Oliz e pela advogada Karla Schumacher.

FONTE:http://www2.isend.com.br/

18/12/2015

Bombeiros controlam incêndio em loja na

zona sul de Porto Alegre/RS

 

Fogo começou no gerador da Cassol Center Lar, na Avenida Eduardo Prado.

Foto: Mateus Ferraz /Rádio Gaúcha

Três caminhões do Corpo de Bombeiros combateram um incêndio no gerador da Loja Cassol Center Lar, na Avenida Eduardo Prado, zona sul de Porto Alegre. O prédio foi evacuado e ninguém ficou ferido. Pessoas que estavam no local relatam que, antes da ocorrência, um forte cheiro de óleo diesel foi sentido. “Sentimos o cheiro forte e, logo em seguida, as luzes começaram a piscar. Todo mundo saiu correndo”, relata o expositor de uma feira realizada no estacionamento do local. Durante o trabalho dos bombeiros, a avenida ficou bloqueada no sentido centro-bairro, mas o trânsito já foi liberado.  

FONTE:http://gaucha.clicrbs.com.br/

17/12/2015

Incêndio destrói casa de festas infantis em Caxias do Sul / RS.

  Incêndio destrói casa de festas infantis em Caxias do Sul Felipe Nyland/Agencia RBS
Um incêndio destruiu a casa de festas infantis Brinqfest, no bairro Santa Catarina, em Caxias do Sul, na noite desta terça-feira. O fogo começou por volta de 22h05 no pavilhão localizado na Rua Vereador Dionísio Sandi, 251. Ninguém ficou ferido. Proprietários e funcionários haviam saído há cerca de dez minutos do local, que sediou um evento infantil momentos antes do incêndio.
O Corpo de Bombeiros chegou ao local às 22h20min e precisou de duas viaturas para controlar o fogo no local, lotado de materiais inflamáveis como plástico e isopor, além de aparelhos eletrônicos. Uma porta dupla, de vidro temperado e grade de ferro, dificultou o acesso ao prédio. Os donos da empresa chegaram à casa de festas às 22h32min com as chaves. Proprietário da Brinqfest, Silvio Gomes Lisboa, 54 anos, levava funcionários para casa quando foi avisado sobre o incêndio. Ele era consolado por amigos e familiares enquanto lamentava a destruição da empresa que mantém há 14 anos, inaugurada há sete no Santa Catarina. — Como isso foi acontecer? O que eu vou fazer agora? — questionava-se o empresário, que não tinha seguro do prédio alugado. Um pavilhão lateral, que pertence à empresa e funciona como estacionamento, não chegou a ser atingido, mas houve correria para retirada de carros do local. Dezenas de pessoas aglomeraram-se para acompanhar o trabalho dos bombeiros.  

FONTE: http://pioneiro.clicrbs.com.br/

15/12/2015

 

Reforço na prevenção de incêndios e salvamentos

   

Luiz Gustavo da Silva Lock assume o posto do Major Eduardo Gener no comando da Companhia do Corpo de Bombeiros de Venâncio
Foto: Vanessa Behling / Folha do Mate
Luiz Gustavo da Silva Lock assume o posto do Major Eduardo Gener no comando da Companhia  Corpo de Bombeiros de Venâncio. 

  O porto-alegrense Luiz Gustavo da Silva Lock, 34 anos, assumiu a Companhia do Corpo de Bombeiros de Venâncio no início da semana. Responsável também pela Seção de Combate a Incêndios da Companhia, o capitão quer reforçar o trabalho de prevenção de incêndios no município. Além disso, Gustavo tem a pretensão de transformar Venâncio num quartel de referência em salvamentos. O Capitão assume um dos postos do Major Gener, que segue no comando do Batalhão. ‘A ideia é dar continuidade ao bom relacionamento com a comunidade, que o Major Gener sempre teve. E dar um enfoque na área de prevenção de incêndios e também na área de salvamentos, pois nosso bem principal ainda é a vida, então a intenção é de transformar o quartel de Venâncio referência no estado em salvamento de pessoas, porque somos cercados de rodovias e temos muitos acidentes veiculares e o resgate faz parte das especialidades de salvamento.’ Reduzir o tempo de espera na emissão de alvarás do Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI) também é uma das metas do Capitão. ‘Queremos dar uma ênfase a nossa Assessoria Técnica que aqui funciona bem, tendo em vista as demais, pois é uma atividade que tem muita demanda, mas se for feito um comparativo com prazos, desde quando é protocolado o pedido de alvará até a liberação, temos um tempo consideravelmente bom. E vamos trabalhar cada vez mais diminuir esse tempo de espera. Pois onde há prevenção, não há incêndios.’ Incêndios em estufas de fumo Venâncio, por ser o maior produtor de tabaco em folha do país, sofre a cada safra com as queimas em estufas de fumo. Para o Capitão esta será uma nova realidade e um novo desafio. ‘Iremos fazer uma avaliação da região, os índices de ocorrências para trabalhar e dar uma ênfase nisso.’ Segundo o Major Gener, a expectativa é de que a incidência de incêndios em estufas de fumo diminuam nesta safra. ‘Além do plantio ser menor, tivemos a incidência de granizo que prejudicou e contribuiu para a safra ser menor.’ Até ontem, haviam sido registradas quatro queimas nesta safra, sendo a primeira no dia 1º de dezembro. A média por safra, em Venâncio, é de 36 estufas queimadas. No entanto, o número vem tendo uma queda acentuada. Na safra passada foram 19 queimas. ‘Pela quantidade de fornos que existem, o número está dentro da normalidade.’ Gener ainda alerta para os cuidados que devem ser tomados para que seja evitado o incêndio em estufas. ‘A temperatura da fornalha da estufa tem que ser controlada, não querer apressar o processo com muito fumo e/ou muita lenha, é preciso cuidar com o super aquecimento, não pode encher de lenha e ir dormir ou sair de casa, é preciso ficar junto; colocar a tela de proteção entre os canos e o fumo; prestar atenção na manutenção, os canos podem estar furados e ali pode haver escapamento de calor; cuidar se as folhas estão bem presas, dependendo de como estão presas, ainda mais no processo com máquina, podem cair facilmente em cima dos canos e desencadear o incêndio.’ Efetivo Atualmente, o Corpo de Bombeiros de Venâncio conta com 23 profissionais. No entanto, seis foram convocados para a Operação Golfinho, uma soldado está em licença maternidade e também nos próximos dias um soldado deixará a corporação devido a aposentadoria. Além disso, inicia a rotatividade do período de férias. Assim, nos primeiros meses do ano de 2016, o quartel terá um efetivo com menos de 15 profissionais. Mas o Capitão adianta que os trabalhos não devem ser prejudicados. ‘A falta de efetivo é um problema em todo o estado, mas até então não tivemos dificuldade maior em atendimento a comunidade, permanecemos fazendo um trabalho satisfatório. E estamos na eminência da convocação de novos soldados, talvez para o primeiro semestre do próximo ano, com a conclusão do curso de formação e da convocação de novos soldados, podendo ter assim um efetivo um pouco maior. Mas tudo ainda depende de quantos serão chamados para o curso, quantos irão se formar, se vai ter turma na região.’ Para o Major Gener, o número ideal seria de 48 soldados em Venâncio. Quanto a frota, no momento, a corporação local conta com um caminhão em estado de funcionamento. Outro, está sendo consertado. Escolha por Venâncio Gustavo Lock foi sargento no Grupamento de Busca e Salvamento de Porto Alegre, onde atuou por nove anos. Na Capital, prestou o concurso para Capitão, no qual passou, fez o curso e assim pode escolher entre diversas unidades que lhe foram ofertadas. Entre as opções estavam Caxias, Canoas, São Leopoldo, mas Gustavo optou pela Capital do Chimarrão pelas boas impressões que já tinha da região. ‘O que me fez vir para Venâncio foi, primeiro, por ter já um contato com Santa Cruz, e porque me surpreendi com a organização da região e com o acolhimento da população. Venâncio tem uma visão de futuro e tem uma característica de transparência. E para um gestor público são qualidades bem importantes, e isso foi fundamental para que eu viesse para Venâncio, que é uma cidade menor e faz com que se tenha mais contato com a comunidade e facilita nossa ação. Então, foi uma escolha direta, não imposta, e isso me faz acreditar que vou permanecer por um bom tempo aqui.’ Major Gener segue em Venâncio Natural de Cachoeira do Sul, o major Eduardo Gener Pinheiro Medeiros está em Venâncio há 15 anos. Em 17 de agosto de 2000, assumiu o comando da Companha local. Em 2011, ao ser promovido, foi criado em Venâncio o Batalhão, o qual Gener também vinha comandando. Assim, acumulou as duas funções durante os últimos quatro anos. Agora, Gener seguirá no comando do Batalhão de Venâncio, o qual, através do Sub grupamento de Combate a Incêndio, também atende todo o Vale do Taquari, totalizando 41 municípios.  

FONTE:http://http://www.folhadomate.com/

15/12/2015

Formatura de 55 voluntários aumenta efetivo dos bombeiros na região Estância Velha

     
Bombeiros voluntários poderão atuar a partir desta segunda-feira, em equipes mistas.

 

Mais informações no site: http://www.jornalnh.com.br/_conteudo/2015/12/noticias/regiao/251632-formatura-de-55-voluntarios-aumenta-efetivo-dos-bombeiros-na-regiao.html 

 

FONTE: http://www.jornalnh.com.br/

13/12/2015

Bombeiros condenados pelo caso KISS agiram

em ‘desonra’, diz MP

sp space

Órgão pede aumento da pena em julgamento de recursos na Justiça Militar.MP diz que boate teve primeiro alvará concedido sem exigência de planta.

  O Ministério Público pediu o aumento da pena dos bombeiros condenados no processo militar que apura as responsabilidades administrativas no incêndio na boate Kiss, ocorrido em janeiro de 2013, que matou 242 pessoas em Santa Maria, na Região Central do Rio Grande do Sul. No julgamento realizado nesta quarta-feira (9) no Tribunal de Justiça Militar, em Porto Alegre, o órgão alegou que o primeiro alvará do estabelecimento foi concedido ainda em 2009, sem que fosse exigida a planta pelo Corpo de Bombeiros.
“Os réus dispensaram as exigências, não apresentaram as plantas, mesmo em desobediência ao que pedia a legislação (…) Daniel da Silva Adriano e Moisés Fuchs agiram em desonra ao Corpo de Bombeiros”, disse Maria Emilia Mora, representante do Ministério Público ao recorrer das penas aplicadas aos dois condenados. O tenente-coronel Daniel da Silva Adriano era o responsável pelo setor de emissão dos Planos de Prevenção Contra Incêndio (PPCI) do Corpo de Bombeiros de Santa Maria, mas já estava na reserva há dois anos quando ocorreu o incêndio. Esta é a principal alegação de sua defesa no julgamento dos recursos. Já o tenente-coronel Moisés da Silva Fuchs era o comandante do Corpo de Bombeiros e, de acordo com o MP, teria permitido que seus subordinados agissem em desobediência ao que previa a legislação para a emissão dos PPCI. Ao receber o primeiro alvará, a Kiss foi colocada em um sistema simplificado de emissão de alvará, o SIG-PI, software por meio do qual os proprietários preenchiam as informações, sem a necessidade de apresentação de planta. O documento só teria sido apresentado à prefeitura da cidade, e não aos bombeiros. De acordo com o Ministério Público, a Kiss não poderia ter sido enquadrada neste sistema simplificado, apesar das alegações do Corpo de Bombeiros de que se tratava de um procedimento adotado há muito tempo. Isso porque a boate tinha a mesma metragem desde 2009, além de ser um local de circulação de público. Já o capitão Alex da Rocha Camilo, de acordo com MP, emitiu o segundo alvará da Kiss, em 2011, mesmo sabendo que a boate não tinha realizado o treinamento de emergência dos funcionários, conforme exigido pela legislação. O MP pediu ainda a condenação de Fuchs por prevaricação, pena esta suspensa, ao entender que o comandante não teria aplicado a punição prevista em lei contra um sargento que era dono de uma empresa (Hidramix) de instalação de prevenção contra incêndio. Dos sete juízes que fazem parte da mesa, apenas quatro devem votar, isso porque um dos magistrados está de férias, o outro é o presidente do tribunal – e vota apenas em caso de desempate –  e o terceiro era comandante-geral da Brigada Militar quando ocorreu o incêndio da Kiss, por isso se considerou impedido de participar. Entenda O incêndio na boate Kiss, em Santa Maria, ocorreu na madrugada do dia 27 de janeiro de 2013. A tragédia matou 242 pessoas, sendo a maioria por asfixia, e deixou mais de 630 feridos. O fogo teve início durante uma apresentação da banda Gurizada Fandangueira e se espalhou rapidamente pela casa noturna, localizada na Rua dos Andradas, 1.925.
O local tinha capacidade para 691 pessoas, mas a suspeita é que mais de 800 estivessem no interior do estabelecimento. Os principais fatores que contribuíram para a tragédia, segundo a polícia, foram: o material empregado para isolamento acústico (espuma irregular), uso de sinalizador em ambiente fechado, saída única, indício de superlotação, falhas no extintor e exaustão de ar inadequada. Ainda estão em andamento os processos criminais contra oito réus, sendo quatro por homicídio doloso (quando há intenção de matar) e tentativa de homicídio, e os outros quatro por falso testemunho e fraude processual. Os trabalhos estão sendo conduzidos pelo juiz Ulysses Fonseca Louzada. Sete bombeiros também estão respondendo pelo incêndio na Justiça Militar. O número inicial era oito, mas um deles fez acordo e deixou de ser réu. Entre as pessoas que respondem por homicídio doloso, na modalidade de “dolo eventual”, estão os sócios da boate Kiss, Elissandro Spohr (Kiko) e Mauro Hoffmann, além de dois integrantes da banda Gurizada Fandangueira, o vocalista Marcelo de Jesus dos Santos e o funcionário Luciano Bonilha Leão. Os quatro chegaram a ser presos nos dias seguintes ao incêndio, mas a Justiça concedeu liberdade provisória a eles em maio de 2013. Após ouvir mais de 100 pessoas arroladas como vítimas, a Justiça colheu depoimentos das testemunhas. As testemunhas de acusação foram ouvidas e, depois, as testemunhas de defesa. Os réus são os últimos a falar. Quando essa fase for finalizada, Louzada deverá fazer a pronúncia, que é considerada uma etapa intermediária do processo. No dia 5 de dezembro de 2014, o Ministério Público (MP) denunciou 43 pessoas por crimes como falsidade ideológica, fraude processual e falso testemunho. Essas denúncias tiveram como base o inquérito policial que investigou a falsificação de assinaturas e outros documentos para permitir a abertura da boate junto à prefeitura.  

FONTE:http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul

09/12/2015

Incêndio de grandes proporções atinge fábrica

em Farroupilha, RS

 

Chamas foram controladas, mas bombeiros seguem no local. Até por volta das 19h, não havia informações sobre feridos.

               Um incêndio de grandes proporções atingiu uma fábrica na tarde desta terça-feira (8) emFarroupilha, na Serra do Rio Grande do Sul. Os bombeiros foram acionados por volta das 17h. Cerca de duas horas mais tarde, as chamas haviam sido controladas, mas as equipes permaneciam no local realizando um monitoramento. Não há informações sobre feridos.

FONTE:http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul

08/12/2015

Sócio da BOATE KISS diz que MP poderia ter visto espuma em fiscalização

 

Elissandro Spohr diz que MP poderia ter visto espuma no teto da boate. Fumaça gerada com queima do isolamento liberou cianeto no local.

  O empresário Elissandro Spohr, o Kiko, reforçou que a espuma aplicada no teto da Boate Kissera visível e poderia ter sido vista durante fiscalizações do Ministério Público. A declaração ocorreu no interrogatório dos réus, no Fórum de Santa Maria, na região Central do Rio Grande do Sul, na tarde desta terça-feira (1). Spohr é um dos sócios da casa noturna que pegou fogo no dia 27 de janeiro de 2013  após o uso de um artefato pirotécnico no interior do estabelecimento. As chamas do material se alastraram pelo forro com a espuma, o que gerou uma fumaça tóxica com cianeto que matou pelo menos 234 das vítimas na casa noturna. Com isso, houve confusão e correria na tentaiva de sair do local. Ao todo, 242 pessoas morreram e mais de 600 ficaram feridas. Durante o depoimento, que já durou mais de oito horas, o empresário disse que, com exceção do teto, tentou esconder a espuma até mesmo com cortinas em outros locais da casa. Entretanto, o material, segundo ele, poderia ser visto pelo MP. “Se olhou, eu não sei, mas deveriam ter olhado”, observou o advogado de Kiko, Jader Marques, ao questionar seu cliente. Spohr reforçou que ninguém dizia que não poderia utilizar o material. O empresário destacou que, por quase dois anos, não teve conhecimento do Ação Civil Pública movida pelo Ministério Público a pedido de moradores que viviam próximos a casa noturna devido o barulho no local. O procedimento foi aberto em agosto de 2009 e Elissandro Spohr destacou que só “teve conhecimento em 2011, quando foi chamado no MP”. Disse que, durante esse período, não sabia que a casa noturna estava irregular. Jader Marques perguntou a Elissandro Spohr se ele duvidaria do alvará de inspeção expedido pelo Corpo de Bombeiros. “Por que eu duvidaria?”, devolveu a pergunta. O empresário explicou ainda que atrasou, por 21 dias, a renovação do Plano de Prevenção e Proteção  Contra Incêndio (PPCI) em 2012. Na terça (24) e quarta-feira (25), o juiz Ulysses Fonseca Louzada ouviu Marcelo de Jesus dos Santos e Luciano Bonilha Leão, respectivamente vocalista e produtor de palco da banda Gurizada Fandangueira, que se apresentava na boate no momento que começou o incêndio. Eles também são acusados de homicídio e tentativas de homicídio com dolo eventual. Na quinta-feira (3) será realizado o depoimento do último réu no processo, Mauro Hoffmann, sócio de Kiko na boate. “Deveria ter mais gente aqui comigo” Durante o depoimento, no Fórum de Santa Maria  Kiko, afirmou ainda que outras pessoas também deveriam estar no banco dos réus. “Cezar Schirmer (prefeito de Santa Maria) deveria estar aqui comigo”, disse. Poucos segundos depois, reforçou que não é assassino. “Eu posso dizer que não queria que isso acontecesse. Eu posso ter culpa, mas eu não sou assassino. Deveria ter mais gente aqui comigo”, alegou. O Ministério Público do Rio Grande do Sul responsabilizou ainda em 2013 quatro bombeiros e isentou servidores da Prefeitura de Santa Maria no inquérito civil que apurava supostas irregularidades na concessão de alvarás para a boate Kiss. O prefeito Cezar Schirmer também foi excluído. A Prefeitura disse que já foi investigada e que nada foi comprovado que a responsabilizasse pela tragédia. O incêndio, em janeiro daquele ano, matou 242 pessoas e deixou mais de 600 feridos.

elissandro spohr kiko boate kiss santa maria rs (Foto: Hygino Vasconcellos/G1)
Elissandro Spohr prestou depoimento nesta terça (Foto: Hygino Vasconcellos/G1)

O processo criminal colocou como réus Kiko e o seu sócio Mauro Hoffmann, além de dois integrantes da banda Gurizada Fandangueira, o vocalista Marcelo de Jesus dos Santos e o funcionário Luciano Bonilha Leão. Todos respondem por homicídio e tentativas de homicídio. Ao ser questionado se tinha alguma maneira de salvar as pessoas após o incêndio, o empresário foi taxativo. “Se os bombeiros tivessem máscara para entrar, sim. Se tivessem treinamento e equipamento. Quando chegaram, eu pensei ‘vai terminar agora’, mas só piorou”, falou. Na sequência, o réu observou que, ainda na delegacia, comentou que os bombeiros “fizeram o que puderam”, mas que depois mudou de opinião e que, em sua visão, “eles não fizeram nada.” Sócio da Kiss nega uso de fogos e pede acareação com músicos Durante o inquérito, Kiko negou que sabia sobre o uso de artefatos pirotécnicos dentro da Boate Kiss. O réu solicitou ao juiz Ulysses Fonseca Louzada um acareação com os integrantes da banda que afirmaram que ele tinha ciência da utilização do material pela banda. “Eu não tinha conhecimento. Eu não vi e não tinham me pedido. Quero ver falar na minha cara (que permitia o uso)”, contestou. Spohr disse que nunca viu show pirotécnico na boate Kiss, e que sua banda não utilizava. O empresário relatou que tocava na boate antes de adquirir a boate, por R$190 mil, e que, posteriormente vendeu 50% para Mauro Hoffmann, na época dono de uma outra casa noturna em Santa Maria.

  • Durante o depoimento, Kiko disse que prefeito de Santa Maria deveria ser réu (Foto: Hygino Vasconcellos/G1)
Elissandro Spohr, o Kiko, chega para depor em Santa Maria (RS) (Foto: Hygino Vasconcellos/G1)

Questionado pelo juiz se incentivava o uso dos fogos pelas bandas, ele também negou.  “Chega a ser uma piada, juro pela morte da minha mãe. Não foi pedido para mim (do uso dos fogos)”, disse no depoimento. Elissandro Spohr disse que a casa noturna tinha entre “sete ou oito” extintores, além de sinalização indicativa para caso de fogo. O juiz cita depoimentos que relatavam que Kiko “não gostava de usar extintores, por questão estética”. Spohr negou e disse que foi algo divulgado por uma ex-funcionária. “Ela falou isso para me desmoralizar”, rebateu. O réu disse que estava no hall de entrada da Boate Kiss no momento do incêndio, resolvendo “um problema” com um rapaz embriagado. Em seguida, olhou em direção ao palco, mas não viu fogo. Logo depois, viu pessoas correndo. “Veio uma manada na minha direção”, contou. Ele relatou que foi prensando em direção a um táxi que passava pelo local. O veículo, segundo Kiko, chegou a atropelar algumas pessoas que saíam da boate. Ao olhar para dentro da casa noturna novamente, o empresário diz que viu uma nuvem de fumaça saindo para fora. “Quando olhou para o palco, viu alguém da Gurizada (Fandangueira, banda que se apresentava quando iniciou o incêndio)?”, questionou o juiz. Kiko relatou que só viu uma movimentação. Spohr imaginava que a festa seria “bem falhada”, por ocorrer em um período de férias. Disse que para uma festa estar “bombada” deveria ter 800 pessoas dentro da Kiss, número considerado bom para circulação e consumo, segundo o empresário. “Nós tínhamos uma ideia pelo conforto, na nossa cabeça era 800 pessoas, ninguém vai numa festa com 500 pessoas.” Ao juiz, o réu negou que casa noturna estivesse com mais de mil pessoas quando começou o incêndio. Disse ainda que só foram feitas duas reformas na Kiss, e que o restante foram obras de manutenção, como pintura ou troca de móveis estragados. O empresário relatou ainda um lucro variável, por festa, entre R$ 18 mil a R$ 20 mil. “E bruto?”, questionou o juiz. “Tinha um custo fixo de R$ 7 mil a R$ 9 mil, mas dependia da festa, da banda, se tinha cortesia até meia noite”, respondeu. O réu relatou que tinha um lucro mensal de R$ 15 mil, além do salário. Durante o depoimento, Kiko disse que Mauro Hoffmann “era malandro”, o que causou um burburinho dentro do Fórum. “Ele ia na quinta-feira tirar as coisas para levar para o Absinto (casa noturna que Mauro era dono)”, observou. “Tu não confiava nele?”, questionou o juiz. “Eu não tinha o que confiar, tudo estava comigo. Tudo estava anotadinho”, observou o empresário. “Eu disse para ele: ‘Cuida do teu bolicho que eu cuido do meu.’ Era um trato que eu tinha com ele. Mauro sabia tudo que seria feito, inclusive obras”, relatou. O empresário também negou que os funcionários da Boate Kiss fecharam as portas para evitar a saída das pessoas após o incêndio, apesar dos relatos. Observou que eram só um homem e uma mulher que atuavam na portaria e que não conseguiriam conter tanta gente. Durante o interrogatório do juiz, Kiko disse que o uso das barras metálicas na saída da boate serviam para organizar as filas. Já ao promotor Maurício Trevisan, o empresário relatou que a utilização das estruturas serviam para dar mais segurança ao local. “Meu medo era que alguém entrasse com uma arma, com uma faca”, falou. Kiko afirmou que bombeiros “não fizeram nada” no incêndio (Foto: Hygino Vasconcellos/G1)

elissandro spohr kiko boate kiss santa maria rs (Foto: Hygino Vasconcellos/G1)

Questionado pelo juiz sobre o que teria motivado o incêndio, o empresário demorou para responder. Pediu para a pergunta ser refeita e disse que “foi o show pirotécnico, a espuma. O medo atrapalha, o desespero atrapalha, os táxis atrapalharam.” O magistrado, em uma das últimas perguntas, questionou o que Kiko estava fazendo atualmente. “Minha vida hoje é ficar com minha filha”, disse o empresário, que está se mantendo com a ajuda da família. Elissandro Spohr é o terceiro réu a prestar depoimento na etapa dos interrogatórios do processo. A tragédia, de 27 de janeiro de 2013, vitimou 242 pessoas e deixou mais de 600 feridos. Outro sócio da casa noturna, Mauro Hoffmann prestará depoimento no Foro Central de Porto Alegre na quinta-feira (3). Os réus são acusados de homicídio e tentativas de homicídio com dolo eventual. Os dois chegaram a ser presos após o incêndio, mas desde o fim de maio de 2013 respondem ao processo em liberdade. Músico e produtor foram ouvidos Na terça (24) e quarta-feira (25), o juiz Ulysses Fonseca Louzada ouviu Marcelo de Jesus dos Santos e Luciano Bonilha Leão, respectivamente vocalista e produtor de palco da banda Gurizada Fandangueira, que se apresentava na boate no momento que começou o incêndio. Eles também são acusados de homicídio e tentativas de homicídio com dolo eventual. Marcelo de Jesus pediu perdão às famílias (Foto: Hygino Vasconcellos/G1)

Marcelo de Jesus dos Santos boate kiss réu santa maria rs (Foto: Hygino Vasconcellos/G1)

Primeiro a ser ouvido, Marcelo de Jesus dos Santos disse que “se tinha que falar alguma coisa, era pedir perdão”. O vocalista segurou no palco artefato pirotécnico que provocou o incêndio. Em um dos questionamentos, ele observou que a ideia do uso durante as apresentações da banda foi do gaiteiro Danilo Jacques, que morreu durante a tragédia. No dia seguinte, foi a vez do produtor de palco da banda depor no Fórum de Santa Maria. Luciano Bonilha Leão teria acendido o sinalizador que iniciou no incêndio. Durante o depoimento, respondeu apenas aos questionamentos do juiz, negando-se a responder perguntas proferidas pela acusação e pela defesa. Emocionado, o réu chorou, disse ser inocente e também vítima, e que pensou várias vezes em acabar com a própria vida. “Muitas vezes pensei até em me matar. Jamais ia provocar alguma coisa que tirasse a vida de alguém”, declarou. Incêndio na boate Kiss causou a morte de 242 pessoas em 2013 – (foto: Estêvão Pires/G1)

Boate Kiss Santa Maria dois anos da tragédia (Foto: Estêvão Pires/G1)
 

Entenda O incêndio na boate Kiss, em Santa Maria, ocorreu na madrugada do dia 27 de janeiro de 2013. A tragédia matou 242 pessoas, sendo a maioria por asfixia, e deixou mais de 630 feridos. O fogo teve início durante uma apresentação da banda Gurizada Fandangueira e se espalhou rapidamente pela casa noturna, localizada na Rua dos Andradas, 1.925.

 
INCÊNDIO NA KISS

O local tinha capacidade para 691 pessoas, mas a suspeita é que mais de 800 estivessem no interior do estabelecimento. Os principais fatores que contribuíram para a tragédia, segundo a polícia, foram: o material empregado para isolamento acústico (espuma irregular), uso de sinalizador em ambiente fechado, saída única, indício de superlotação, falhas no extintor e exaustão de ar inadequada. Ainda estão em andamento os processos criminais contra oito réus, sendo quatro por homicídio doloso (quando há intenção de matar) e tentativa de homicídio, e os outros quatro por falso testemunho e fraude processual. Os trabalhos estão sendo conduzidos pelo juiz Ulysses Fonseca Louzada. Segundo ele, o julgamento deve ocorrer até o final do ano. Sete bombeiros também estão respondendo pelo incêndio na Justiça Militar. O número inicial era oito, mas um deles fez acordo e deixou de ser réu. Entre as pessoas que respondem por homicídio doloso, na modalidade de “dolo eventual”, estão os sócios da boate Kiss, Elissandro Spohr (Kiko) e Mauro Hoffmann, além de dois integrantes da banda Gurizada Fandangueira, o vocalista Marcelo de Jesus dos Santos e o funcionário Luciano Bonilha Leão. Os quatro chegaram a ser presos nos dias seguintes ao incêndio, mas a Justiça concedeu liberdade provisória a eles em maio de 2013. Atualmente, o processo criminal ainda está em fase de instrução. Após ouvir mais de 100 pessoas arroladas como vítimas, a Justiça está em fase de recolher depoimentos das testemunhas. As testemunhas de acusação já foram ouvidas e agora são ouvidas as testemunhas de defesa. Os réus serão os últimos a falar. Quando essa fase for finalizada, Louzada deverá fazer a pronúncia, que é considerada uma etapa intermediária do processo. No dia 5 de dezembro de 2014, o Ministério Público (MP) denunciou 43 pessoas por crimes como falsidade ideológica, fraude processual e falso testemunho. Essas denúncias tiveram como base o inquérito policial que investigou a falsificação de assinaturas e outros documentos para permitir a abertura da boate junto à prefeitura.  

FONTE: http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul

01/12/2015

Incêndio atinge depósito em Gravataí/RS.

 

Prédio fica na Rua Amélia Telles, próximo do limite com Cachoeirinha. Bombeiros controlaram o fogo e ninguém ficou ferido

  Um depósito de fraldas pegou fogo por volta do meio-dia desta quarta-feira, no Bairro Morada do Vale III, em Gravataí. Dois caminhões dos bombeiros precisaram se deslocar até o local e, por volta das 14h, controlaram as chamas. De acordo com a corporação, ninguém ficou ferido. O prédio incendiado fica na Rua Amélia Telles, parada 61, próximo do limite com Cachoeirinha. Os bombeiros informam que as causas ainda são desconhecidas.   Ruas do entorno foram bloqueadas, devido ao risco de desabamento. Outra preocupação era com a fumaça, considerada tóxica.FONTE: http://zh.clicrbs.com.br/


04/11/2015

Aprovado projeto de PPCI para o Ginásio Municipal

de Cachoeirinha/RS.

 

O Corpo de Bombeiros aprovou recentemente o Plano de Prevenção Contra Incêndio (PPCI) do Ginásio da Fátima situado, sede de diferentes jogos e competições do município de Cachoeirinha.

O secretário de Planejamento e Gestão, Paulo César Balthazar, esclarece que o projeto está de acordo com a nova legislação, bem mais rigorosa após o incêndio da boate Kiss, em Santa Maria. “Temos o prazo de um ano para implementar o projeto. Até agora, já trocamos os extintores de incêndio, e outras mudanças serão realizadas dentro dos próximos meses para garantir a total segurança e integridade dos usuários”, revela o titular da SEPLAN. Balthazar comenta ainda que a pasta do Planejamento está realizando um levantamento de todos os imóveis de propriedade da Prefeitura e aqueles que são alugados pela mesma para adequá-los à nova legislação.

O Ginásio Municipal foi fechado temporariamente até a liberação do projeto. A reabertura oficial ocorreu no último sábado, 29/03, com um jogo entre a AFUSCA e a ADS (Associação Desportiva de Sananduva) pelo Estadual de Futsal. O secretário de Esporte e Lazer, Valdir Mattos, comemora a aprovação do PPCI. “Agora é bola em jogo. Nossos campeonatos e eventos poderão ocorrer com mais segurança no Ginásio Municipal”, afirma o titular da SMEL.

Os próximos eventos que acontecem no Ginásio são as Olimpíadas Estudantis, com abertura nesta sexta-feira, 4 de abril, às 14h; e o Campeonato de Arco e Flecha, no sábado, 5 de abril.

Fonte  Site Oficial Prefeitura de Cachoeirinha (http://www.cachoeirinha.rs.gov.br/) 02 ABRIL 2014



Palavras chave: PPCI, PSPCI, ALVARÁ, CORPO DE BOMBEIROS MILITAR, ATENDIMENTO, CACHOEIRINHA, GRAVATAÍ, PORTO ALEGRE, CANOAS, SÃO LEOPOLDO, NOVO HAMBURGO,

LITORAL, SERRA GAÚCHA, EXTINTORES, HIDRANTE, PROJETO, ALARME, LUMINARIAS, PLACAS FOTOLUMINESCENTES, PLANO DE PREVENÇÃO, INCÊNDIO, RENOVAÇÃO, NOTIFICAÇÃO,

NCA, NCI, CORREÇÃO, PROTOCOLO, INSPEÇÃO, RECARGAS, CBMRS, PLANO DE PREVENÇÃ CONTRA INCÊNDIO, APPCI, ALVARÁ, RENOVAÇÃO EXTINTORES, LAUDO, ALTERAÇÃO PPCI

HABITE-SE, REGULARIZAÇÃO, CONSTRUÇÃO, OBRAS